Tamanho do texto

Jorge Rafaat teve o carro alvejado após uma emboscada; condenado pela Justiça brasileira, ele vivia como empresário

O Dia

Rafaat era conhecido como
Reprodução
Rafaat era conhecido como "Rei" da região de fronteira e rotineiramente aparecia na mídia local

Um dos maiores traficantes da fronteira do Brasil com o Paraguai foi executado na noite dessa quarta-feira (15). O narcotraficante Jorge Rafaat, conhecido como "Rei da Fronteira", teve seu carro alvejado após uma emboscada em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia que faz fronteira com a brasileira Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande.

Os atiradores usaram uma metralhadora antiaérea calibre 50 e disparam mais de 200 tiros para atingir o carro de Rafaat, acusado por tráfico de drogas pela Justiça brasileira. O criminoso vivia como um empresário de sucesso no Paraguai. De acordo com relatos, parecia cena de uma guerra.

O "Rei da Fronteira" estava dentro de um jipe quando uma caminhonete com a metralhadora acoplada na caçamba se aproximou. De acordo com informações do jornal paraguaio ABC Color, seguranças do traficante reagiram, mas também foram mortos. Sete pessoas teriam ficado feridas, incluindo um policial. O crime ocorreu no bairro San Gerardo, região central da cidade, próximo ao mercado municipal.

Ainda não há número oficial de mortos e feridos, nem detalhes do crime que, por enquanto, acredita-se estar relacionado a disputa pelo controle do tráfico na fronteira entre o Brasil e o Paraguai.

Rafaat é apontado como um dos principais chefes do narcotráfico na fronteira e tem diversas passagens pela polícia brasileira por tráfico de drogas e contrabando. 

Veículo de Rafaat, apesar de blindado, não suportou o calibre das armas usadas na execução
Reprodução
Veículo de Rafaat, apesar de blindado, não suportou o calibre das armas usadas na execução


Condenação

Conhecido também por organizar promoções para compras em Pedro Juan – inclusive, com congelamento da cotação do dólar –, Jorge Rafaat foi condenado pelo juiz federal Odilon de Oliveira, da 3ª Vara Federal de Ponta Porã, em 2014, quando além dele, outros sete traficantes da fronteira foram sentenciados.

Rafaat foi condenado a várias penas que, somadas, totalizam 47 anos de prisão em regime fechado, além de multa de R$ 403,8 mil. O irmão dele, Joseph Rafaat Toumani, também foi condenado a 15 anos de prisão e multa de R$ 83,2 mil. Aviões, veículos, fazendas e outros imóveis também foram sequestrados pela Justiça Federal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.