Tamanho do texto

Hipótese de que aeronave sofreu explosão a bordo tem ganhado força com os relatórios da investigação; país africano já afirmou que terrorismo é hipótese mais provável para queda

Airbus evava 66 pessoas a bordo, sendo 56 passageiros e 10 funcionários da companhia aérea
Divulgação
Airbus evava 66 pessoas a bordo, sendo 56 passageiros e 10 funcionários da companhia aérea

Médicos legistas e fontes da comissão de inquérito que investiga a queda do Voo MS804 da Egyptair disseram nesta terça-feira (24) ter indícios suficientes de que houve uma explosão a bordo antes de o avião cair no Mar Mediterrâneo com 66 pessoas a bordo. Autoridades egípcias, no entanto, rechaçam qualquer vestígio de que isso tenha ocorrido.

"Não há nenhum corpo que está inteiro, com braços ou cabeça", disse um especialista. "A explicação lógica é que se trata de uma explosão", disse um médico egípcio. "Segundo a autópsia dos restos dos corpos das vítimas, uma explosão ocorreu dentro do avião antes que ele caísse", fizeram coro fontes ligadas à investigação.

Foram levados para análise 23 pacotes com restos mortais e tecido dermatológico para exames de DNA. Ao todo, há 80 fragmentos humanos que poderão ajudar a estabelecer as circunstâncias do acidente. "Os relatórios indicam que nenhum corpo foi devorado por peixe ou sofreu mudanças quando caiu no mar", ressaltaram as fontes.

Foram encontrados destroços da aeronave próximo à cidade Alexandria, na costa do Egito
HO / EGYPTIAN MILITARY SPOKESPERSON'S FACEBOOK PAGE / AFP
Foram encontrados destroços da aeronave próximo à cidade Alexandria, na costa do Egito


O Airbus 320 da Egyptair levava 66 pessoas a bordo, sendo 56 passageiros e 10 funcionários da companhia aérea, quando desapareceu dos radares na última quinta-feira (19). O voo fazia a rota entre Paris e Cairo e perdeu contato com as torres de comando quando saía do espaço aéreo grego para ingressar no egípcio.

Foram encontrados destroços da aeronave próximos à cidade Alexandria, na costa do Egito. As autoridades ainda não sabem se o avião sofreu uma falha técnica ou foi alvo de um atentado terrorista, pois, em outubro, o grupo extremista Estado Islâmico derrubou uma aeronave da companhia russa Metrojet no Sinai.

O ministro da Aviação Civil do Egito, Sherif Fathi: para ele, terroristas podem ter derrubado avião
Khaled Desouki/Agence France Presse/Estadão Conteúdo - 20.05.16
O ministro da Aviação Civil do Egito, Sherif Fathi: para ele, terroristas podem ter derrubado avião

Após a repercussão das avaliações sobre a queda, um porta-voz do governo do Egito correu para rechaçar as hipóteses e anunciar que não foram encontrados vestígios de explosivos a bordo do avião. 

Os peritos se basearam nas condições dos restos mortais analisados. O chefe do Departamento de Medicina Legal do Egito, Hisham Abdel Hamid, também negou as declarações dadas pelos especialistas.

Familiares de vítimas de voo da EgyptAir choram após receberem notícias sobre queda de avião
Khaled Desouki/Agence France Presse/Estadão Conteúdo - 19.0516
Familiares de vítimas de voo da EgyptAir choram após receberem notícias sobre queda de avião