Tamanho do texto

Advogado de Salah Abdeslam afirma que seu cliente tem reclamado do fato de ser vigiado 24 horas por dia em sua cela

Estadão Conteúdo

Detido sob vigilância constante em Paris, Abdeslam não está em boa condições, diz advogado
Ministério de Interior da Bélgica
Detido sob vigilância constante em Paris, Abdeslam não está em boa condições, diz advogado


Frank Berton, um dos advogados do extremista islâmico Salah Abdeslan, informou que seu cliente não quis se pronunciar no depoimento desta sexta-feira (20) sobre os ataques terroristas nos quais o jovem se envolveu em Paris e Bruxelas.  

O integrante do comando radical muçulmano ligado ao Estado Islâmico que atacou Paris em 13 de novembro compareceu ao Palácio da Justiça de Paris para ser ouvido pelos juízes de instrução no primeiro interrogatório após as investigações dos ataques que mataram 130 pessoas.

“Salah Abdeslam usou o seu direito ao silêncio, recusando-se a responder às perguntas do juiz", disse o procurador de Paris. “Também não quis especificar as razões que o levaram a fazer o uso do seu direito ao silêncio. Recusou-se a confirmar, do mesmo modo, as declarações que havia feito anteriormente à polícia e ao juiz de instrução belga."

O advogado do acusado lamentou que o seu cliente esteja preso em uma cela monitorada permanente por câmeras de segurança – na cadeia de Fleury-Merogis, em Paris. "Abdeslam sente-se vigiado 24 horas por dia e isso não o deixa em boas condições", acrescentou.

O advogado disse que pretende conversar sobre o assunto com o ministro da Justiça francês.

Veja fotos do atentado que deixou 130 mortos em Paris: