Tamanho do texto

Mulheres distribuem panfletos e participam de bailes para conscientizar população sobre os perigos das drogas

A cidade de Guangzhou, no sul da China, tem uma nova arma na luta contra as drogas: grupos de vovós dançarinas. 

As autoridades esperam que, devido ao seu status na sociedade, as mulheres possam monitorar o uso de drogas dentro de suas comunidades
Reprodução
As autoridades esperam que, devido ao seu status na sociedade, as mulheres possam monitorar o uso de drogas dentro de suas comunidades

Famosas pelas apresentações em espaços públicos, as vovós, conhecidas como "damas", estão colaborando com a divisão de narcóticos da polícia desde janeiro deste ano, informa o jornal chinês Guangzhou Daily. 

Mais de 100 mulheres já foram recrutadas pelas autoridades como parte de uma campanha mais ampla para reduzir criminalidade. 

As vovós vão de porta em porta distribuindo panfletos e também participam de bailes com o objetivo de conscientizar a população sobre os perigos das drogas, acrescenta o jornal. 

As autoridades esperam que, devido ao seu status na sociedade, as mulheres possam monitorar o uso de drogas dentro de suas comunidades. 

"Muitas vovós se opõem fortemente ao uso de drogas", diz Tang Rongzhen, da divisão antinarcóticos da polícia local. "É por isso que decidimos recrutá-las para espalhar essa mensagem", acrescenta. 

O objetivo é replicar o sucesso de uma estratégia similar implantada no nordeste da cidade de Yantai, que permitiu à polícia desmantelar várias quadrilhas de venda de entorpecentes. 

Em entrevista ao site de notícias Jiaodong Net, o policial Yuan Zhu diz que as "damas" são ideais para o trabalho porque têm maior familiaridade com suas comunidades do que a polícia. 

"Elas podem identificar rapidamente visitantes estranhos e alertar as autoridades".