Tamanho do texto

Americana levou soco de um jovem durante passeio em Los Angeles; obra viralizou na internet, motivou resposta do excêntrico candidato republicano e é avaliada em R$ 5 milhões

Artista Illma Gore foi agredida por grupo de jovens que gritava
Reprodução/Instagram
Artista Illma Gore foi agredida por grupo de jovens que gritava "Trump 2016", em Los Angeles

Autora de um polêmico quadro em que o empresário Donald Trump é retratado com um pênis pequeno, a artista americana Illma Gore foi agredida por apoiadores do pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos.

Segundo Illma relatou ao jornal britânico "The Guardian", a agressão ocorreu no dia 29 de abril em Los Angeles, onde ela vive. "Eu vinha recebendo ameaças de morte e de estupro nas últimas semanas. Então naquele dia eu estava caminhando pelas redondezas de minha casa e um fã de Trump me deu um soco no rosto", relata.

De acordo com a artista, a agressão foi promovida por um jovem que desceu de um carro onde ele e alguns amigos gritavam "Trump 2016". Illma relatou a agressão à polícia que, no entanto, disse que seria difícil capturar os responsáveis pelo ato sem que fossem fornecidas imagens dos agressores.

Retrato de Trump com pênis pequeno está em galeria de Londres e é avaliado em R$ 5,1 milhões
Reprodução/Illma Gore
Retrato de Trump com pênis pequeno está em galeria de Londres e é avaliado em R$ 5,1 milhões

Illma passou a ser reconhecida nas ruas após publicar sua versão do extravagante empresário em sua conta no Facebook, no dia 9 de fevereiro. A imagem foi visualizada mais de 50 milhões de vezes em apenas três dias. "Eu jamais poderia esperar pelo que estaria por vir nas semanas seguintes", diz Illma.

"Quando comecei a criar o quadro, em janeiro, pensei que, se alguém poderia se ressentir por um ficcional pequeno pênis, esta pessoa seria Donald Trump", explica a artista. "Mas não imaginei que seu descontentamento seria tão pessoal. Ele foi tão longe que chegou a defender o tamanho de seu pênis durante um debate."

A artista conta que o corpo retratado com o rosto de Trump não é fictício: trata-se do retrato de um amigo. "Ao colocar o rosto de Trump naquele corpo, eu queria levantar questões sobre como nós interpretamos os gêneros: se eu tivesse pintado Trump com um pênis grande, por que tomaríamos isso como um sinal de poder? Por que encaramos um pênis pequeno como algo que efemina? E o que haveria de errado em ser efeminado?", questiona Illma. 

A artista tentou colocar sua obra em diversas galerias, até que a Galeria Maddox, em Londres, aceitou expor seu quadro, que foi estimado em incríveis R$ 5,1 milhões.

Apesar das ameaças e da agressão sofrida por Illma, a artista contou ao "The Guardian" que não deixará de exercer a sua arte. "Continuarei a criar. A arte deve evocar a emoção. Ela representa o tempo em que vivemos. Tudo que quero é fazer uma arte cada vez melhor e mais impressionante."

    Leia tudo sobre: Donald Trump