Tamanho do texto

Campo fica em território controlado por rebeldes no noroeste do país e abriga cerca de 2000 pessoas de províncias vizinhas

Aleppo, maior cidade da Síria, está sendo bombardeada e atacada há pelo menos 13 dias seguidos
Agence France Presse/Estadão Conteúdo - 28.04.16
Aleppo, maior cidade da Síria, está sendo bombardeada e atacada há pelo menos 13 dias seguidos

Um ataque aéreo atingiu um campo de refugiados lotado na Síria nesta quinta-feira (5) perto da fronteira do país com a Turquia e deixou pelo menos 28 mortos, segundo ativistas sírios favoráveis à oposição. Imagens divulgadas em redes sociais que seriam dos estragos causados mostravam mais de dez tendas queimadas no chão e mulheres e crianças ensanguentadas.

O campo em Sarmada, território controlado pelos rebeldes na província de Idlib, no noroeste sírio, abriga entre 1.500 e 2 mil pessoas que tiveram de fugir da violência nas províncias vizinhas de Alepo e Hama ao longo do último ano, segundo o ativista Mohammad al-Shafie.

O Observatório Sírio pelos Direitos Humanos afirmou que 28 pessoas morreram, enquanto o Comitês de Coordenação Local, outro grupo de ativistas, disse que mais de 30 pessoas foram mortas. Gravações divulgadas na mídia social mostravam corpos e homens com baldes d'água tentando controlar o fogo.

O ataque ocorreu horas após um duplo atentado na província de Homs, no centro sírio, que matou pelo menos dez pessoas e feriu dezenas, segundo a imprensa estatal e o governador regional, Talal Barrazi.

Na cidade de Alepo, no norte sírio, a situação era de relativa calma, após o anúncio de um cessar-fogo no dia anterior por autoridades dos Estados Unidos, em um acordo com a Rússia. Os militares sírios disseram que a trégua duraria apenas 48 horas.