Tamanho do texto

Após série de manobras para enfraquecer Donald Trump, Cruz viu rival vencer em Indiana e resolveu abandonar a disputa

Estadão Conteúdo

O senador texano Ted Cruz encerrou sua pré-campanha presidencial nesta terça-feira, após uma derrota fragorosa nas primárias de Indiana. Na prática, a saída do legislador abre caminho para a nomeação do bilionário Donald Trump à corrida pela Casa Branca do lado republicano.

Ted Cruz - Eleições 2016 - Presidência dos EUA - Partido Republicano
J. Kyle Jeener/Associated Press/Estadão Conteúdo - 24.04.16
Ted Cruz - Eleições 2016 - Presidência dos EUA - Partido Republicano

Cruz se afasta da disputa presidencial depois de esgotar uma série de movimentos de campanha, desde forjar uma aliança sem precedentes com o também pré-candidato John Kasich, governador de Ohio, até anunciar precocemente sua companheira de chapa, a executiva Carly Fiorina.

No último dia de sua campanha, Cruz lançou uma série de ataques verbais contra Trump, chamando o bilionário de "totalmente amoral, narcisista, mulherengo em série e mentiroso patológico". Nenhum deles funcionou para os eleitores republicanos. O empresário superou ambos os seus rivais com larga vantagem na votação de terça-feira.

"Nós deixamos tudo no campo em Indiana", disse Cruz, em uma declaração de imprensa. "Mas os eleitores escolheram outro caminho."

O senador deixa a corrida depois de ter ganho quatro primárias. Ele também ganhou a maioria dos delegados de convenções partidárias estaduais em três estados, um sinal de organização superior de sua equipe.

Mas no final, Cruz não conseguiu superar o populismo nacionalista de Trump. Sua coalizão nunca ultrapassou o grupo de conservadores, deixando espaço para que Trump conseguisse o apoio dos eleitores menos ligados ao comando do partido. 

    Leia tudo sobre: Donald Trump