Tamanho do texto

Sequestro de 276 meninas em escola na Nigéria completa dois anos; imagens de dezembro indicam que garotas estão vivas

Meninas raptadas pelo Boko Haram reaparecem em vídeo divulgado dois anos após sequestro
Reprodução/CNN
Meninas raptadas pelo Boko Haram reaparecem em vídeo divulgado dois anos após sequestro

Foi divulgado um vídeo que provaria que algumas das quase 300 estudantes sequestradas pelo grupo nigeriano Boko Haram em 14 de abril de 2014 estão vivas.

Segundo a emissora "CNN", a gravação é de dezembro passado e teria sido feita pelos extremistas para dar uma prova de vida das jovens.

Também vieram a público imagens de uma mãe que se aproxima da tela de um computador onde era transmitido o vídeo e reconhece sua filha. "Minha Saratu", diz a mulher, em prantos.

As garotas foram raptadas de uma escola de Chibok, no norte da Nigéria, região que concentra a atuação do Boko Haram.

Das 276 meninas sequestradas, 219 continuam desaparecidas – apenas algumas dezenas conseguiram fugir. O episódio atraiu a atenção da comunidade internacional para um dos grupos mais sanguinários da África e gerou uma grande campanha pela libertação das jovens, tendo como uma de suas líderes a primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama.

"Já se passaram dois anos, e a atenção da imprensa caiu. Mas aquelas garotas têm hoje, mais do que nunca, o direito ao futuro. Acho justo, dois anos depois, pedir novamente a atenção da comunidade internacional. Não há futuro para o mundo sem liberdade plena para as mulheres", escreveu o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, em sua newsletter semanal.

No último mês de março, circulou um vídeo no qual o líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, dizia que havia chegado o "fim", levantando rumores sobre uma possível rendição do grupo. No entanto, desde então a hipótese de que a organização islâmica poderia deixar as armas não foi confirmada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas