Tamanho do texto

Em mais uma violação às resoluções da ONU, Pyongyang disparou mísseis balísticos em nova rodada de testes militares

Agência Brasil

O ditador Kim Jong-un: país mais isolado do mundo só se complica com seguidas bravatas
KCNA/Divulgação/EPA/Agência Lusa
O ditador Kim Jong-un: país mais isolado do mundo só se complica com seguidas bravatas

A Coreia do Norte disparou dois mísseis balísticos em sua mais recente violação das resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU), revelou um dirigente norte-americano da área da Defesa, nesta sexta-feira (18). De acordo com ele, que não quis se identificar, as armas são de médio alcance.

“Estes lançamentos são uma violação de múltiplas resoluções do Conselho de Segurança da ONU”, criticou ele. Antes da declaração, a Coreia do Sul já havia divulgado que a Coreia do Norte tinha disparado o que parecia ser um míssil de médio alcance para o mar do Japão no mesmo dia. 

As tensões militares na dividida península coreana têm aumentado desde que a Coreia do Norte realizou um quarto ensaio nuclear, em 6 de janeiro.
Um mês depois, Pyongyang lançou um foguete de longo alcance, que foi interpretado como um teste disfarçado de míssil balístico. O Conselho de Segurança da ONU impôs duras sanções contra ditadura asiática devido às ações.

O novo teste levou o Japão a apresentar protesto junto à embaixada norte-coreana em Pequim para exigir “contenção” ao regime de Pyongyang, já que um dos mísseis caiu em águas próximas a seu território. O primeiro-ministro do Shinzo Abe disse no Parlamento que Tóquio vai trabalhar com a comunidade internacional para acabar com os programas de armas de Kim Jong-Un, exigindo "contenção" ao governo. 

O ministro porta-voz do Japão, Yoshihide Suga, disse que o exército do país está em alerta para proteger a segurança da população após as novas ações de Pyongyang.

Kim Jong-un diz que Coreia pode se defender de qualquer guerra iniciada pelos Estados Unidos
Reprodução/BBC Brasil
Kim Jong-un diz que Coreia pode se defender de qualquer guerra iniciada pelos Estados Unidos


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.