Tamanho do texto

Apesar de terem liderado as primárias realizadas na terça-feira, favoritos sofreram derrotas que deram novo impulso a rivais

A pré-candidata do Partido Democrata, Hillary Clinton, celebra vitórias na Georgia e em Virginia
Divulgação - 01.02.2016
A pré-candidata do Partido Democrata, Hillary Clinton, celebra vitórias na Georgia e em Virginia

Resultados preliminares da aguardada Super-Terça, data em que mais de uma dezena de Estados norte-americanos realizam primárias para a escolha do candidato à presidência dos EUA, mostram aquilo que as pesquisas de opinião já adiantavam na véspera da disputa: Hillary Clinton na liderança da corrida pelo Partido Democrata e Donald Trump, pelo Republicano.

Por volta das 6h, os 12 Estados onde ocorreram as votações já tinham os resultados divulgados, mostrando uma ampla vantagem para os mais conhecidos pré-candidatos das legendas. Conhecido por seus discursos polêmicos, de tendências xenofóbicas e islamofóbicas, o magnata Donald Trump já havia confirmado sua vitória nas primárias da Georgia, Alabama, Massachusetts, Tennessee, Arkansas, Virginia e Vermont. Adversário de Trump, Ted Cruz obteve a vitória no Texas, em Oklahoma e no Alasca. Marco Rubio venceu apenas em Minnesota. Os caucuses no Alasca aconteceram apenas para o Partido Republicano.

Ao mesmo tempo, Hillary celebrava as conquistas da maioria dos delegados nos Estados da Georgia, Virginia, Alabama, Tennessee, Arkansas, Texas e Massachusetts. Em Vermont, território em que seu Bernie Sanders é senador, a ex-secretária de Estado norte-americana foi derrotada pelo rival. Em Oklahoma, no Colorado e Minnesota, Sanders também foi vitorioso. 

Mas o que é a Super-Terça?
Considerada uma das mais cruciais datas na corrida pela Casa Branca, a Super-Terça reúne mais de uma dezena de Estados votando concomitantemente, tanto entre Republicanos quanto entre Democratas, pelo apoio de centenas de delegados responsáveis por escolher qual dos pré-candidatos defenderá sua legenda na briga pelo posto hoje ocupado por Barack Obama.

A definição do número de delegados que apoiará cada um dos nomes é feita de duas maneiras. A principal delas são as primárias, eleições em voto secreto nas quais eleitores registrados nos partidos – e, em alguns casos, qualquer eleitor interessado – escolhem qual candidato apoiar dentro da legenda. A outra é por meio do caucus, assembleias preliminares distritais que escolhem representantes para apontar os delegados de cada Estado, responsáveis pela escolha final. 

O magnata Donald Trump em discurso no Estado de Kentucky: candidatura se fortalece
Divulgação - 01.03.2016
O magnata Donald Trump em discurso no Estado de Kentucky: candidatura se fortalece

Do lado Republicano, Alabama, Arkansas, Georgia, Massachusetts, Oklahoma, Tennessee, Texas, Vermont e Virginia tiveram primárias, enquanto Alasca e Minnesota, caucuses. Do Democrata, Alabama, Arkansas, Georgia, Massachusetts, Oklahoma, Tennessee, Texas, Vermont e Virginia fizeram primárias, enquanto Colorado, Minnesota e o território da Samoa Americana, no Pacífico Sul, caucuses.

A importância da Super-Terça pode ser facilmente entendida pelos números, apesar da distância do sistema de escolha de candidatos com o usado no Brasil – onde, no máximo, os nomes são escolhidos em prévias fechadas, realizadas de uma só vez entre filiados dos partidos. Do lado republicano, quase 25% dos delegados de todo o país estão em jogo na data – um total de 595 nos 11 Estados onde a disputa será travada. Entre os democratas, são 865 representantes a serem definidos.

Cada pré-candidato precisa de, no mínimo, 1.237 – Republicanos – e 2.383 – Democratas – delegados, respectivamente, para seguir em frente para defender o seu partido nas eleições até o fim das primárias, realizadas em todos os Estados norte-americanos, em junho. Após quatro prévias, o magnata Donald Trump lidera entre os republicanos, com 82 representantes garantidos, seguido por Ted Cruz, com 17, e Marco Rubio, com 16. Do lado Democrata, a ex-secretária de Estado dos EUA Hillary Clinton está na frente, com 543 delegados, bem à frente do socialista Bernie Sanders, com 85.

O senador Bernie Sanders: vitória no Estado pelo qual foi eleito para o Congresso norte-americana
Divulgação - 22.02.2016
O senador Bernie Sanders: vitória no Estado pelo qual foi eleito para o Congresso norte-americana

Assim, em apenas um dia, o jogo pode virar totalmente, com qualquer um dos nomes atualmente na disputa assumindo a liderança na corrida das legendas. Além de escolher aqueles que devem se tornar alvos de rivais – caso de Trump –, a Super-Terça também define os pré-candidatos nanicos que podem largar a disputa devido à falta de apoio dentro da legenda, como é provável que ocorra com o governador de Ohio, John Kasich. Foi o que fez Jeb Bush, ex-governador da Flórida, após fraco desempenho na Carolina do Sul.

De acordo com uma pesquisa nacional encomendada pela rede de notícias CNN, Trump é o favorito a vencer as primárias pelos republicanos, com 49% de apoio entre os eleitores do partido – bem à frente de Rubio (16%), Cruz (15%), Ben Carson (10%) e Kasich (6%). Hillary, por sua vez, se mostra como principal candidata dos Democratas, com 55% da preferência de seu eleitorado contra 38% de Sanders. 

    Leia tudo sobre: donald trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.