Tamanho do texto

Com ventos de até 220 km/h e rajadas de 315 km/h, Winston é o primeiro ciclone de categoria cinco a atingir as Ilhas Fiji

Imagem de satélite da Nasa mostra o ciclone Winston, que forçou população a evacuar suas casas
Nasa Earth Observatory - 20.02.2016
Imagem de satélite da Nasa mostra o ciclone Winston, que forçou população a evacuar suas casas

As Ilhas Fiji, no Sul do Oceano Pacífico, foram atingidas pelo mais intenso ciclone já registrado no Hemisfério Sul, neste sábado (20). Foram registradas evacuações em massa, o toque de recolher foi ativado e a população cobriu foi aconselhada a cobri suas janelas com cobertores para amenizar a tragédia.

A tempestade, a primeira de categoria cinco – o nível mais elevado – já registrada na região, atingiu a ilha principal de Viti Levu durante a noite, de acordo com o Joint Typhoon Warning Center (JTWC). Desde o início do dia, voos foram cancelados e os centros de evacuação, ativados.

"Como nação, estamos enfrentando uma provação do tipo mais grave. Temos de ficar juntos como povo e olhar uns pelos outros. Estejam alertas e preparados", disse o primeiro-ministro, Voreqe Bainimarama, em discurso exibido em rede nacional.

Com ventos de até 220 km/h e rajadas de 315 km/h, o ciclone Winston levou a Diretoria Nacional de Gestão de Desastres a ativar 758 centros de evacuação na região, onde vivem cerca de 900 mil habitantes.

Pela manhã, o ciclone chegou a Vanua Levu. Há relatos de árvores caídas e telhados de casas arrancados. As companhias aéreas Fiji Airways, Virgin Australia e Jetstar cancelaram todos os voos para o arquipélago, destino de férias popular entre australianos e neozelandeses.

O governo impôs um toque de recolher em todo o país, com avisos aos moradores para não saírem de casa. Há uma semana o Winston afeta o sul do Pacífico, tendo contornado Vanuatu e Tonga e e seguido em direção a Fiji.

Ainda não havia levantamentos sobre os números da tragédia, como mortos, feridos e prejuízos estruturais, até a publicação desta notícia.