Tamanho do texto

Suspeita é de que as despesas da campanha foram fraudadas para não ultrapassarem o teto de € 22,5 milhões

O ex-presidente francês Nicolas Sarkozy foi indiciado na noite dessa terça-feira (16) por financiamento ilegal de sua campanha eleitoral de 2012, quando perdeu para o atual mandatário François Hollande.

O ex-mandatário, que governou a França entre 2007 e 2012, passou o dia sendo interrogado
Reuters
O ex-mandatário, que governou a França entre 2007 e 2012, passou o dia sendo interrogado

O ex-mandatário, que governou a França entre 2007 e 2012, passou o dia sendo interrogado e a decisão de indiciar Sarzoky foi tomada pelos juízes após os depoimentos dados em Paris. Ele foi indiciado como "testemunha assistida", figura jurídica que fica entre a acusação e a testemunha comum.

A suspeita é de que as despesas da campanha foram fraudadas para não ultrapassarem o teto de € 22,5 milhões. O episódio tem sido chamado de "caso Bygmalion", em referência ao nome de uma empresa que emitiu faturas falsas no valor de € 18,5 milhões para que a coligação União por um Movimento Popular (UMP) assumisse despesas que na verdade correspondiam à campanha.

Os juízes da seção financeira do Tribunal de Grande Instância de Paris tentarão esclarecer o papel que Sarkozy teve na elaboração das faturas falsas.

Sarkozy ainda está em plena atividade política e hoje é um dos líderes da oposição na França. Ele também tem articulado candidatos para as primárias presidenciais de 2017.O processo poderá complicar sua tentativa de retornar ao Palácio do Eliseu.

Em julho de 2014, Sarkozy foi investigado por corrupção e tráfico de influência em um caso de interceptações envolvendo o seu advogado Thierry Herzog. Dentro do Partido Republicano, Sarzozy está tentando derrotar seu principal adversário nas primárias, Alain Juppé, que detém 40% das intenções. O ex-mandatário tem 30%.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.