Tamanho do texto

Papa Francisco disse que viagem é "desafiadora"; ruptura entre os dois principais ramos do cristianismo ocorreu há mil anos

Papa Francisco desembarcou nesta sexta-feira (12) em Havana, em Cuba
Reprodução/Vatican Player
Papa Francisco desembarcou nesta sexta-feira (12) em Havana, em Cuba

O papa Francisco disse a jornalistas, no avião que pousou em Cuba na tarde desta sexta-feira (12) e que depois segue para o México, que se trata de uma "viagem desafiadora, muito apertada, mas muito querida". "Muito querida por meu irmão Cirilo I [líder da Igreja Ortodoxa Russa], por mim e também pelos mexicanos", acrescentou.

O Pontífice se encontrará com o patriarca de Moscou, após mil anos de cisma entre as igrejas, em reunião histórica nesta tarde em Havana.

Sobre a etapa mexicana do roteiro, ele disse que seu "desejo mais íntimo" é contemplar "Nossa Senhora de Guadalupe, aquele mistério que se estuda, se estuda, se estuda e não há explicações humanas. Mesmo o estudo mais científico diz: 'Isso é coisa de Deus'".

Durante a viagem aérea, Francisco aproveitou para enviar mensagens aos líderes de França, Espanha e Portugal.

"Lembro de todos vocês em minhas orações e invoco a cada um a bênção de Deus para a paz e alegria", dizem as mensagens enviadas ao presidente francês, François Hollande, ao rei de Espanha, Felipe VI, e o presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva.