Tamanho do texto

Segundo o porta-voz de Barack Obama, grupo terrorista tem atualmente entre 19 mil e 25 mil combatentes atuando nos dois países, número inferior ao do levantamento anterior

Balanço serviços secretos mostra um declínio significativo no poder de força do Estado Islâmico
Reprodução
Balanço serviços secretos mostra um declínio significativo no poder de força do Estado Islâmico

O grupo extremista Estado Islâmico perdeu milhares de integrantes na Síria e no Iraque nos últimos meses, segundo dados dos serviços secretos norte-americanos divulgados pela Casa Branca, na quinta-feira (4). 

Em sua entrevista coletiva diária, o porta-voz da Presidência dos Estados Unidos, Josh Earnest, informou que os serviços de inteligência do país estimam que, atualmente, o Estado Islâmico tem entre 19 mil e 25 mil combatentes atuando nos dois países.

O relatório anterior dos serviços de informação apontava a existência de entre 20 mil e 31,5 mil membros efetivos no grupo – declínio da força do EI bastante significativo, como enfatizam os EUA.

“O fato de o número ser menor do que antes é uma indicação de que temos retirado muitos integrantes do campo de batalha e que temos dificultado [ao Estado Islâmico] o reabastecimento das suas fileiras por via das forças estrangeiras”, enfatizou Josh Earnest.

O total de 25 mil membros efetivos do Estado Islâmico no Iraque e na Síria inclui os integrantes estrangeiros que viajam ao Oriente Médio para se juntar ao grupo. 

    Leia tudo sobre: estado islâmico