Tamanho do texto

Ostana, cidade no norte da Itália, tem apenas 85 habitantes, mas apenas metade destes vive permanentemente na cidade

BBC

Uma pequena cidade no norte da Itália, Ostana, está comemorando o primeiro nascimento em mais de 28 anos. O bebê, Pablo, nasceu na semana passada em um hospital da cidade de Turim, a uma hora e meia de Ostana. Com isso, o número de habitantes da pequena cidade chegou a 85 apesar de apenas metede destes viverem permanentemente no local, de acordo com o jornal La Stampa.

Apenas cerca da metade da população de Ostana vive na cidade o ano todo
Wikimedia/Francofranco56
Apenas cerca da metade da população de Ostana vive na cidade o ano todo


O prefeito da cidade, Giacomo Lombardo, disse que a chegada de Pablo é um "sonho que virou realidade" para a pequena comunidade. A população de Ostana caiu de forma dramática nos últimos cem anos. 

No começo do século 20 cerca de mil pessoas moravam na cidade. Mas, depois da Segunda Guerra Mundial, a taxa de natalidade caiu de forma progressiva. "A queda real começou em 1975, com o nascimento de apenas 17 bebês entre 1976 e 1987, o ano em que o último deles nasceu - até o pequeno Pablo", afirmou o prefeito.

Revertendo a tendência
Ostana está tentando reverter esta tendência e um dos caminhos é criar novos empregos na cidade. Os pais de Pablo, Silvia e José, por exemplo: há cinco anos eles estavam planejando deixar Ostana mas desistiram quando foi oferecida uma oportunidade de emprego, gerenciar um refúgio na montanha próxima da cidade.

E alguns moradores acreditam que a história desta família representa o que poderia acontecer com outras comunidades de montanha na Itália. "Decisões como as de Silvia e José são individuais, mas se multiplicam", disse Marco Bussone, da União Nacional de Comunidades e Cidades de Montanha. Para ajudar na regeneração destas comunidades, Bussone sugere a criação de novas regras como a isenção de impostos para negócios locais. 

Muitas cidades pequenas da Itália estão lutando contra a queda na população, que aumenta à medida que os jovens se mudam para buscar emprego em cidades maiores. Os italianos já tentaram várias opções: desde oferecer casas vazias de graça até o ato mais desesperado de um prefeito que decidiu "proibir" que os moradores de seu vilarejo ficassem doentes.

Enquanto não se encontra uma solução, Ostana vai fazer festa para a chegada de Pablo e, segundo o jornal La Stampa, foi colocada uma escultura de uma cegonha na entrada da cidade com um pequeno pacote azul no bico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.