Tamanho do texto

Medida representa maior passo dado até então para o estreitamento das relações econômicas entre os países

Secretário do Estado dos EUA, John Kerry embarca em voo para Cuba: Mais americanos poderão visitar a ilha
Wikimedia Commons
Secretário do Estado dos EUA, John Kerry embarca em voo para Cuba: Mais americanos poderão visitar a ilha

No dia em que a retomada de relações entre Cuba e Estados Unidos completa um ano, os países anunciaram um acordo para restaurar voos comerciais, sem anunciar em que data e qual a rota que será restabelecida.

"Esse acordo vai permitir que os voos fretados permaneçam e estabelecerá serviços aéreos programados, o que vai facilitar e aumentar as viagens autorizadas, ampliando as escolhas dos turistas e promovendo conexões pessoais entre os dois países", informou o Departamento de Estados dos EUA, em nota oficial.

Atualmente, norte-americanos e cubanos que precisam ir a Cuba viajam em aviões fretados, que são, além de caros, muito difíceis de agendar. Especialistas consideram este o maior passo para estreitar as relações econômicas bilaterais desde dezembro do ano passado. Os cidadãos norte-americanos, no entanto, ainda precisarão de permissão para visitar a ilha. A medida deve ajudar uma das maiores fontes de renda da ilha, o turismo.

Avanços

Desde a retomada de relações, diversas restrições vêm sendo estudadas e muitos passos têm sido dados em direção a uma reaproximação. Em julho deste ano, as respectivas embaixadas foram reabertas.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, visitou a ilha no mês seguinte, sendo o primeiro líder diplomático do país a viajar à ilha desde 1945. Na semana passada, Cuba e Estados Unidos anunciaram a retomada de trocas postais após um hiato de 52 anos.

Em outras questões, no entanto, como o status dos dissidentes e o respeito aos direitos humanos em Cuba, continuam travadas. Além disso, o governo cubano pede, com o endosso do presidente Barack Obama, a queda do embargo econômico, que depende do Congresso – que atualmente tem maioria republicana.