Tamanho do texto

Queda de aeronave deixou 224 pessoas mortas no Egito

O avião da companhia russa MetroJet caiu no Egito, matando os 224 passageiros e tripulantes
Agência Sputinik
O avião da companhia russa MetroJet caiu no Egito, matando os 224 passageiros e tripulantes

Investigadores encontraram no local do desastre com o Airbus A321 da companhia russa Kogalymavia, na península egípcia do Sinai, elementos "que não têm a ver com a estrutura da aeronave".

Segundo a agência de notícias "Tass", controlada por Moscou, esse itens foram enviados para análise. No entanto, especialistas ouvidos pelo veículo dizem que podem se tratar, por exemplo, de equipamentos de mergulho transportados por algum dos passageiros.

A queda do avião, ocorrida no último sábado (31), deixou 224 mortos, incluindo 17 crianças. Todos os ocupantes do voo eram russos e estavam voltando de um resort em Sharm el Sheikh, no mar Vermelho.

No dia do desastre, o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) chegou a reivindicar um suposto atentado contra o Airbus, mas Moscou desmentiu rapidamente. O eventual ataque seria uma resposta às ações da Aeronáutica da Rússia contra a organização terrorista na Síria.


    Leia tudo sobre: estado islâmico