Tamanho do texto

Francisco permanecerá poucas horas em La Paz devido à altitude da capital do país, o segundo da viagem do pontifície; de acordo com autoridades, papa mascará folhas de coca

Francisco comanda oração ao lado do presidente boliviano, Evo Morales, nesta sexta-feira (8)
AP
Francisco comanda oração ao lado do presidente boliviano, Evo Morales, nesta sexta-feira (8)

O papa Francisco foi recebido com grandes sorrisos, reverências oficiais e iguarias típicas dos andes ao chegar à Bolívia, segunda parada de sua atual viagem à América do Sul – iniciada no Equador e com encerramento no Paraguai, no início da semana que vem –, nesta quarta-feira (8).

Leia mais:
Papa pede para mascar coca durante viagem à Bolívia, diz governo de Morales
Papa é recebido por milhares de fiéis na chegada ao Equador

Assim como ocorreu no Equador, o presidente do país, Evo Morales, recepcionou Francisco logo na saída do avião que o levou ao aeroporto de El Alto, cidade vizinha à capital boliviana, La Paz, onde o pontífice promoveria uma missa horas mais tarde.

Francisco foi recepcionado com um chá feito de folhas de coca, amplamente usadas pela população local para amenizar os efeitos da altitude, e com um presente típico (uma bolsa usada pela população para guardar as mesmas folhas, inteiras mesmas, para serem mascadas ao longo do dia).

Não está confirmado se o papa realmente mastigou as folhas, mas, antes da viagem atual, ele chegou a afirmar que o faria – as autoridades bolivianas também confirmaram essa informação, nesta quarta-feira.

Veja fotos da viagem do papa à América do Sul:

Devido à altitude de 3.640 metros, que causa sintomas como enjoos e dores de cabeça, a visita de Francisco a La Paz é prevista para durar apenas algumas horas. Depois ele parte para Santa Cruz de La Sierra, no oeste boliviano, antes de viajar ao Paraguai.

Diferente da viagem anterior, quando passou pelo Brasil para a Jornada da Juventude, o roteiro atual de Francisco inclui apenas nações que estão distantes dos centros de poder da geopolítica internacional.

"Pela primeira vez a visita será feita a três países, não os maiores e os primeiros na geopolítica, seguindo a lógica das periferias querida pelo pontífice. A história desses três países, feita de conflitos e ditaduras, será um elemento importante para entender as mensagens que o papa irá proferir", disse o porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi, antes de Francisco embarcar.

Milhares de pessoas já aguardavam a chegada de Francisco na Praça de Murillo, a principal da capital boliviana, no final da tarde de quarta-feira (8). 

"O papa dos pobres"
O pontífice foi recebido ainda no aeroporto internacional de La Paz, localizado em El Alto, pelo presidente Evo Morales, que fez um rápido discurso e lhe presenteou com uma "chuspa", espécie de bolsa confeccionada com lã geralmente usada para carregar folhas de coca.

"Acolhamos de braços e coração abertos o papa dos pobres, que se identifica com São Francisco de Assis. Quem trai um pobre trai Jesus Cristo. Quem trai um pobre trai o papa Francisco", discursou Morales, assistido por milhares de fiéis. 

Leia também:
Papa Francisco inicia visita de nove dias a três países latino-americanos
Papa viaja à América Latina com agenda voltada às "periferias"
Papa Francisco abre mão de 'sesta' para se divertir com colegas no Equador

Francisco, por sua vez, saudou a Bolívia como uma terra abençoada devido ao seu povo e à sua variedade cultural. "A Bolívia está dando passos importantes para incluir amplos setores na vida econômica, social e política do país", disse o pontífice. "Também pode contar com uma Constituição que reconhece os direitos dos indivíduos, das minorias e do meio ambiente."

* Com AP e Ansa