Tamanho do texto

Segundo testemunhas, um homem retirou uma metralhadora de um guarda-sol e começou a atirar indiscriminadamente nas pessoas que estavam em resort em praia na cidade de Sousse

Uma das vítimas do ataque ocorrido na cidade litorânea de Sousse, nesta sexta-feira (26)
AP
Uma das vítimas do ataque ocorrido na cidade litorânea de Sousse, nesta sexta-feira (26)

O site Intelligence Group afirma que o grupo terrorista Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque terrorista que deixou ao menos 37 pessoas mortas em um resort localizado no litoral da Tunísia. Foi o segundo dos três atos do gênero ocorridos ao longo da manhã desta sexta-feira (26) assumido pelos extremistas – o outro, no Kuwait.

Os terroristas teriam feito a reivindicação em sua conta no Twitter ainda nesta sexta-feira, identificando o atirador como Abu Yahya al-Qayrawani, que supostamente aparece em uma foto divulgada pelos extremistas sorridente e rodeado por metralhadoras.

Testemunhas afirmam que um jovem subitamente tirou uma Kalashnikov de um guarda-sol e passou a atirar contra os banhistas que estavam em um resort na cidade de Sousse. Assim como o ataque no Kuwait, o ato segue os recentes chamados por violência do grupo que domina uma vasta área territorial dentro do Iraque e da Síria – autodenominado Estado Islâmico.

Veja fotos dos ataques terroristas desta sexta-feira:

Pânico em três continentes
A sexta-feira (26) foi marcada por ataques a três países de três continentes distintos que deixaram mais de 60 mortos.

Na França, um homem foi decapitado e outras pessoas ficaram feridas em um ataque a uma usina de gás. Na Tunísia, atiradores mataram pelo menos 37 pessoas – a maioria turistas estrangeiros – em uma praia na cidade de Sousse. E no Kuwait, o suicida responsável pelo ataque explodiu uma bomba em uma mesquita no país, deixando ao menos 25 vítimas fatais.

Leia mais:
Atentado em hotéis de cidade turística na Tunísia mata ao menos 37 pessoas
Explosão em mesquita mata ao menos 25 pessoas no Kuwait
Homem é decapitado em ataque terrorista na França

Os três ataques aconteceram no mês sagrado do Ramadã – período de jejum para os muçulmanos. O grupo que se autodenomina Estado Islâmico chegou a fazer uma convocação para seus seguidores aumentarem o número de ataques durante esse período. No entanto, até agora, o grupo extremista apenas assumiu a autoria de um dos atentados – o do Kuwait.

Na Tunísia, ainda não há suspeita de quem estaria por trás do ataque. O país sofreu com algo parecido em março, quando atiradores mataram 22 pessoas em um museu popular entre turistas.

Na França, o suspeito pelos ataques foi identificado como Yassin Salhi, que tem em torno de 35 anos. Autoridades disseram que o corpo da vítima foi encontrado com inscrições em árabe e com uma bandeira islâmica por perto. A agência de notícias AFP relatou que as palavras em árabe foram escritas na cabeça da vítima.

* Com BBC

    Leia tudo sobre: estado islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.