Tamanho do texto

Imagens polêmicas chocaram ao serem divulgadas na internet, pois o jornal é um dos de maior credibilidade mundial

O Dia

Editor do
Reprodução
Editor do "Ny Times" respondeu à crítica sobre encenação de massacre alfinetando site

O respeitado jornal "New York Times" se viu envolvido em uma polêmica nesta semana após vazarem fotos de jornalistas encenando massacres na redação de sua sede.

As imagens foram publicadas em um grupo do Facebook no último fim de semana por uma ex-funcionária e mostram um editor de longa data da publicação portando uma M-16 de brinquedo e jornalistas "mortos" em uma "brincadeira", em 2001. A reportagem é do site "Gawker".

Leia mais notícias no portal O Dia

A foto na qual Rosenthal aparece segurando uma arma M-16 de brinquedo e uma garrafa de vinho é uma "encenação do massacre da família real do Nepal com a morte dos integrantes da Editoria Internacional", explicou Anne Cronin em seu post na rede social.

Leia também:

Menina se mata após ser castigada e humilhada pelo pai na internet

Foco de polêmica nos EUA, bandeira confederada é celebrada no interior de SP

Outra imagem mostra o futuro editor executivo do jornal, Bill Keller, liderand

o um "suicídio em massa" em referência ao suicídio coletivo na seita "Heaven's Gate", em 1997.

Ao ser questionado pelo site sobre sua aparição na foto, o editor Andrew Rosenthal alfinetou: "Isso era o que os jornalistas faziam com seus impulsos infantis antes de existir o 'Gawker'".

Suicídio coletivo foi recriado na redação do jornal
Reprodução
Suicídio coletivo foi recriado na redação do jornal "New York Times" em 2001

As imagens chocaram ao caírem na rede, pois o jornal é um dos de maior credibilidade mundial. A cena de "assassinato" dentro da redação lembra de alguma forma o ataque ao jornal satírico francês Charlie Hebdo.

O vazamento também ocorre após o assassinato de nove pessoas em uma igreja da comunidade negra de Charleston, na Carolina do Sul, nos Estados Unidos. O crime de ódio foi cometido por Dylan Roof, que disse acreditar que os "negros estão dominando o mundo e alguém tem que fazer algo a respeito".

A publicação se posicionou em repúdio às imagens. "Essas fotos são de mau gosto, não refletem os valores do New York Times e são dignas de profundo arrependimento", declarou o o editor Arthur Sulzberger Jr. ao site.

A porta-voz do Times declarou ao site que "as fotos foram tiradas como parte de uma tradição anual da Editoria Internacional" — o mesmo foi dito por Anne Cronim, autora da publicação na rede social.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.