Tamanho do texto

ONU cita salário mínimo do país e afirma que seu valor é insuficiente “para cobrir um nível de vida digno"

As Nações Unidas (ONU) recomendaram hoje (23) à Venezuela que tome "medidas urgentes" para combater a escassez de alimentos e medicamentos, situação que causa queixas frequentes por parte da população.

A recomendação foi feita pelo Comitê de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais e faz parte do documento "Observações finais sobre o terceiro relatório periódico da República Bolivariana da Venezuela", divulgado pela ONU nesta terça-feira.

Leia mais:

Aécio e senadores de oposição são cercados por ativistas em Caracas

Dilma convoca chanceler para esclarecer episódio na Venezuela

Após protestos na Venezuela, Aécio liga para Renan para pedir apoio

"O comitê recomenda que o Estado adote medidas urgentes para abordar o problema da falta de abastecimento de alimentos e de produtos de primeira necessidade", diz o texto do relatório.

O documento explica que apesar dos avanços feitos para fortalecer a produção e integrar pequenos produtores à economia local, é preocupante que "o Estado tenha aumentado a sua dependência na importação de alimentos, o que em parte gerou grave falta de abastecimento e escassez de alimentos básicos".

Recomenda "aumentar o investimento na agricultura, melhorando a produtividade e o acesso aos mercados locais, para ampliar os rendimentos nas zonas rurais".

Acrescenta que "o comitê observa com preocupação a situação" no sistema de saúde, "devido à grave escassez e ao abastecimento irregular de produtos, medicamentos, material médico-cirúrgico e equipamentos médicos", assim como a deterioração em que se encontram alguns hospitais e a falta de pessoal médico".

A ONU cita ainda as atualizações do salário mínimo na Venezuela, manifestando preocupação quanto a informações de que o seu valor é insuficiente “para cobrir um nível de vida digno".

Por isso, recomenda "que o salário mínimo seja verificado mediante um sistema efetivo e transparente de indexação e ajuste, que fixe uma quantia que permita vida digna a todos os trabalhadores e familiares".

O comitê explica que apesar dos avanços alcançados em matéria de habitação social, por meio da implementação do programa Grande Missão Habitação Venezuela, é preocupante a manutenção de "aglomerados informais e o persistente déficit de habitação", assim como "a informação sobre as deficiências nas habitações construídas e a deterioração do meio urbano".

Foram registrados avanços na luta contra o trabalho infantil, mas manifestada preocupação sobre a sua prevalência e a falta de dados estatísticos.

O comitê observou que "apesar da redução significava da pobreza, mediante a implementação de programas sociais designados 'missões", vê "com preocupação, nos últimos anos, uma tendência regressiva nos resultados da luta contra a pobreza".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.