Tamanho do texto

As imagens também mostram outros homens presos em um carro enquanto um terrorista explode o veículo com um míssel

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) divulgou nesta terça-feira (23) um vídeo que mostra um grupo de prisioneiros sendo morto de maneira cruel. Cinco espiões foram afogados numa piscina, dentro de uma gaiola.

De acordo com o jornal inglês "Daily Mail", o vídeo tem imagens subaquáticas que mostram os cinco homens morrendo por afogamento. Após as mortes, os corpos dos homens são retirados da gaiola e empilhados.

Ofensa: Estado Islâmico chama Michelle Obama de prostituta

Junho: Estado Islâmico executou mais de 460 pessoas na Síria neste mês

Em sequência, o vídeo também mostra imagens de outros homens presos em um carro enquanto um terrorista explode o veículo com um morteiro. Outra cena mostra prisioneiros acorrentados a explosivos.

Assista ao vídeo (ATENÇÃO: IMAGENS FORTES)

Quem é o Estado Islâmico?

O Estado Islâmico (EI) é um grupo jihadista que age no Iraque e na Síria. O grupo foi formado em abril de 2013 e surgiu a partir da Al-Qaeda do Iraque. Desde então, a milícia se tornou dissidente e se transformou em um dos principais grupos jihadistas, enfrentando as forças do governo na Síria e obtendo vitórias militares no Iraque.

Cerca de 23 mil sírios deixaram seu país rumo a Turquia entre 3 e 15 de junho, anunciou o Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur). As últimas semanas têm sido marcadas por violentos combates na fronteira entre a Síria e a Turquia, que permitiram às forças curdas assumir o controle total da cidade de Tall Abyad, até agora nas mãos dos jihadistas.

“A maioria dos recém-chegados é síria e foge da violência dos grupos armados rivais, mas há também 2,1 mil iraquianos que vieram de Mossul e de outras cidades”, disse o porta-voz do Acnur, William Spindler.

Mossul, principal cidade do Norte do Iraque, é controlada pelos jihadistas do grupo extremista Estado Islâmico.

“Os refugiados estão esgotados, alguns caminharam durante vários dias”, disse Spindler.

Ocupação na Síria

O Estado Islâmico domina mais da metade do território da Síria após ocupar Palmira, onde já teria começado a massacrar uma tribo rebelde e não enfrenta oposição. As informações são do site "The Guardian".

Não há forças para impedi-los [de entrar nas ruínas]", disse Rami Abdurrahman, diretor do Observatório Sírio para os Direitos Humanos. "Mas outro dado importante é que eles agora controlam 50% da Síria."

Os terroristas tomaram Palmira na noite de quarta-feira (21) após cerco de uma semana que levou ao colapso das forças leais ao presidente Bashar al-Assad na região. Os militantes estão agora se aproximando das duas fortalezas do país, Homs e Damasco, e estão cortando as linhas de abastecimento para Deir Ezzor, no leste, que enfrenta uma repressão avassaladora dos insurgentes.

Ativistas locais disseram que os terroristas haviam imposto toque de recolher e estavam varrendo a cidade das forças remanescentes de Assad. O Estado Islâmico também matou membros da tribo Shaitat, que lutaram ao lado do regime de Assad em Palmira e também tentaram conter o grupo em Deir Ezzor, rebelião que deixou ao menos 800 mortos.

Mas significativamente, o grupo sunita controla vastas áreas da Síria, de Palmira a Raqqa e Deir Ezzor, uma área que o Observatório Sírio para os Direitos Humanos estima ser de 95 milquilômetros quadrados, ou mais de metade da massa de terra da Síria. Com a apreensão dos campos de gás de Arak e al-Hail perto de Palmyra, eles também controlam grande parte do fornecimento de eletricidade do país.

*Com Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.