Tamanho do texto

Condenado à prisão perpétua pela Justiça italiana por "terrorismo", Battisti fugiu e foi preso no Brasil em 2007

No último dia de mandato, Lula impediu extradição de Battisti para a Itália
EBC/Reprodução
No último dia de mandato, Lula impediu extradição de Battisti para a Itália

O ex-ativista italiano Cesare Battisti, condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos cometidos na década de 1970, anunciou que se casará com uma brasileira no próximo dia 27, em Cananéia, no litoral sul de São Paulo.

A noiva é Joice Lima, com quem o italiano mantém um relacionamento amoroso há anos e a qual fazia visitas a Battisti na prisão. O casal vive atualmente em Embu das Artes.

Entre os convidados, está o ex-senador e atual secretário municipal de Direitos Humanos, Eduardo Suplicy. O ex-parlamentar garante que o matrimônio não tem relação com a possibilidade de Battisti conseguir cidadania brasileira para evitar uma extradição.

Março: Battisti consegue habeas corpus e é libertado em São Paulo

Membro do grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC) nos anos 1970, Battisti foi condenado à prisão perpétua pela Justiça italiana por "terrorismo" e envolvimento em quatro assassinatos.

Para escapar da cadeia, ele se mudou para a França, mas fugiu quando teve sua extradição autorizada. De lá, viajou ao México e, em seguida, ao Brasil, onde foi preso em 2007. O STF também chegou a autorizar sua extradição, mas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu, no último dia de seu segundo mandato, mantê-lo no país.

No último mês de março, o ex-ativista foi detido em São Paulo para fins de extradição, mas seu advogado conseguiu liberá-lo com um habeas corpus.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.