Tamanho do texto

Ainda não está definida a confirmação de pena de morte para Mohammed Morsi, destituído pelo Exército em 2013

Um tribunal egípcio condenou nesta terça-feira (16) o ex-presidente islâmico Mohamed Morsi à prisão perpétua pelo crime de espionagem. Ainda não está definida a confirmação de pena de morte para o ex-chefe de Estado destituído pelo Exército em 2013.

Maio:  Ex-presidente Mohammed Morsi é condenado à morte no Egito

Mohammed Morsi, candidato da Irmandade Muçulmana, durante campanha política no Cairo, Egito (2012)
AP
Mohammed Morsi, candidato da Irmandade Muçulmana, durante campanha política no Cairo, Egito (2012)

A sentença de prisão perpétua refere-se a acusações de espionagem a favor do movimento palestino Hamas, do libanês Hezbollah e do Irã.

Em outro processo, Mohamed Morsi foi condenado à morte em 16 de maio por fuga da prisão e incitação à violência. O tribunal deverá confirmar hoje essa condenação.

No processo de Morsi já tinham sido condenados à morte, em maio, mais 16 acusados pela entrega de documentos secretos a países estrangeiros entre 2005 e 2013.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.