Tamanho do texto

Embarcação afundou na noite de segunda-feira (1º) no rio Yangtze; barco teria afundado após ser atingido por ciclone

As equipes de busca da China continuam nesta terça-feira (2) as operações de resgate dos mais de 430 passageiros de um navio que naufragou no rio Yangtze, província de Hubei.  O acidente ocorreu na noite de segunda-feira (1º), de acordo com a imprensa local . O naufrágio pode ser o pior registrado nas últimas décadas no país.

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, já se deslocou para o local do naufrágio, uma região com 15 metros de profundidade, situada em Jianli, na província de Hubei. Mais de 100 barcos e quase 5 mil pessoas, entre elas 1.840 soldados e 1.600 agentes de polícia, foram mobilizados para as operações de busca e salvamento, indicou a imprensa oficial. 

LEIA TAMBÉM:  Naufrágio abala “viagem dos sonhos” de chineses

Até o momento, foram resgatados 18 dos 458 passageiros que estavam a bordo. Cinco corpos foram encontrados e 435 pessoas continuam desaparecidas. A emissora CCVT informou que o comandante e o chefe de engenharia da embarcação foram detidos e alegaram que o barco afundou após ser atingido por um ciclone.

O capitão e o engenheiro-chefe da embarcação disseram que o navio afundou no espaço de um a dois minutos. "Foi tão rápido que o capitão nem teve tempo de dar sinal de alerta", disse Wang Yangsheng, funcionário superior do Centro de Socorro Marítimo de Yuegang.

Os trabalhos de resgate prosseguem apesar do mau tempo, chuva e vento que afetam a região. Nas últimas horas, mergulhadores conseguiram salvar uma mulher de 65 anos que estava dentro do navio, mas o vento forte e a chuva dificultam as operações de busca e salvamento. 

De acordo com a imprensa chinesa, a embarcação, batizada de Estrela do Oriente, levava 406 passageiros, turistas com idade entre 50 e 80 anos, 47 tripulantes e cinco funcionários de uma agência de turismo. O barco viajava de Nanquim para Chongqing. O acidente aconteceu quando o navio Dongfangzhixing (Estrela do Oriente) foi atingido por ventos de 130 quilômetros por hora.

A empresa dona do navio, Chongqing Eastern Shipping Corpo, atua em rotas de turismo na região das Três Gargantas, um trecho do rio Yangtze. O presidente da China, XI Jinping, ordenou que todos os esforços sejam direcionados para o resgate dos passageiros. Com quase 20 anos de serviço e capacidade para transportar 534 pessoas, o Dongfangzhixing fazia regularmente passeios turísticos no Yangtze, terceiro maior rio do mundo depois do Nilo e do Amazonas, com 6.300 quilômetros de extensão.

*Com informações da Agência Brasil e Ansa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.