Tamanho do texto

Outros 217 imigrantes foram resgatados com vida após um pedido de socorro; em 2013, naufrágio deixou 368 mortos

A Marinha da Itália recuperou nesta sexta-feira (29) 17 cadáveres que estavam em uma embarcação clandestina superlotada na costa da Líbia. O barco foi interceptado pelo navio Fenice, após um pedido de socorro feito por uma ligação via satélite. Foram resgatados com vida outros 217 imigrantes, que agora estão sendo interrogados para esclarecer a causa das mortes.

Leia também:

- Itália resgata 12 barcos com imigrantes em Lampedusa

- "Não venham à Itália", dizem imigrantes em anúncio de partido de direita

- Papa pede a presidente da Itália ajuda a imigrantes; 950 morreram no mar em 2015

Quase diariamente, embarcações ilegais partem da costa africana, principalmente da cada vez mais instável Líbia, rumo ao sul da Europa. Frequentemente, esses barcos afundam em alto mar e causam grandes tragédias, como a do dia 3 de outubro de 2013, que fez 368 vítimas perto da ilha italiana de Lampedusa .

No início de março, a agência da União Europeia para controle de fronteiras (Frontex) já havia alertado que entre 500 mil e 1 milhão de pessoas estão prontas para deixar a nação africana rumo à Europa ao longo de 2015. Como a Itália fica a menos de 300 km de distância por água, acaba sendo a principal porta de entrada para imigrantes clandestinos no continente.

Veja imagens do naufrágio em Lampedusa


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.