Tamanho do texto

Noiva de um militante do Estado Islâmico defende sequestro de jovens para serem usadas como escravas sexuais dos jihadistas

Michelle Obama foi chamada de prostituta por noiva de militante do Estado Islâmico
AP
Michelle Obama foi chamada de prostituta por noiva de militante do Estado Islâmico

 Em mais uma provocação contra o governo norte-americano, os jihadistas do Estado Islâmico (EI, ex-Isis) chamaram a primeira-dama, Michelle Obama, de "prostituta".

"Michelle Obama é uma prostituta", é a mensagem de um artigo publicado na revista Dabiq, que faz propaganda do grupo sunita.

O texto, que tem como título "Mulheres Escravas ou Prostitutas", foi escrito por uma "esposa da jihad" chamada Umm Sumayyah Al-Muhajirah, que defende o sequestro de jovens para serem usadas como escravas sexuais dos jihadistas.

O artigo condena os que criticam o sequestro de meninas. "Qual é a religião de vocês? A lei de vocês? Digam-me quem é o seu Deus? Como vocês se permitem julgar?", questiona o texto.

A autora do artigo é noiva de um jihadista que fez uma menina yazidi de escrava sexual.

Segundo ela, a prática não é estupro e foi inspirada pelo próprio profeta Maomé.

Conquista

Na semana passada, o EI anunciou a conquista da cidade síria de Palmira, considerada patrimônio histórico pela Unesco.

De acordo com as autoridades locais, ao menos 400 civis, a maioria mulheres e crianças, foram mortos pelo grupo. Organizações de direitos humanos relataram que há centenas de corpos de soldados do regime sírio espalhados pelas ruas.

Leia também:

Estado Islâmico invade museu na Síria, mas relíquias já não estavam mais lá

Estado Islâmico fará ataque sem precedentes nos Estados Unidos

Amamos a morte tanto quanto vocês amam a vida, diz terrorista do Estado Islâmico

    Leia tudo sobre: estado islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.