Tamanho do texto

Refém britânico do grupo afirmou em uma reportagem que os extremistas preparam ataque com uma arma nuclear

O refém britânico do grupo Estado Islâmico (EI, ex-Isis), John Cantlie, afirmou em uma reportagem do grupo que os extremistas preparam um ataque "sem precedentes" contra os Estados Unidos.

Utilizado como repórter pelos terroristas em vários vídeos, Cantlie escreveu um artigo na revista "Dabiq", criada pelo Estado Islâmico, dizendo que uma arma nuclear "importada" do Paquistão ou "algumas toneladas de explosivos" irão "ridicularizar os ataques do passado". A menção é uma clara referência aos atentados do dia 11 de setembro de 2001, realizados pela Al-Qaeda em Nova York e em Washington.

Leia mais:

Terroristas do Estado Islâmico assumem controle total da cidade síria de Palmira

Obama admite revés, mas diz que "guerra contra Estado Islâmico não está perdida"

Estado Islâmico comemora vitória no Iraque
Reprodução/Youtube
Estado Islâmico comemora vitória no Iraque

Segundo a matéria, o armamento seguiria do Paquistão e utilizaria as rotas do tráfico de drogas e de pessoas através da Líbia, Nigéria, América do Sul e México para chegar ao território norte-americano.

Além disso, a revista jihadista ainda celebrou o ataque ocorrido no Texas contra uma exposição de caricaturas de Maomé, no início de maio. Já naquele momento, o EI assumiu o ataque e disse que o que estava por vir seria "ainda mais doloroso e amargo".

A "Dabiq" ainda segue com uma série de matérias contra o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, contra os principais líderes árabes e contra a coalizão nacional síria, a plataforma anti-Bashar al Assad apoiada por países ocidentais.

E, pela primeira vez desde seu lançamento, a publicação traz uma série de "publicidades", em que mostra uma "compilação" dos 10 vídeos sobre o grupo mais divulgados pela mídia mundial.

Decapitados pelo Estado Islâmico no Iraque


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.