Tamanho do texto

De acordo com o responsável pelo sítio arqueológico da cidade síria, mesmo com a violência não aconteceram danos ao patrimônio da Unesco

Mais de 300 pessoas morreram nos últimos quatro dias em confrontos das forças leais ao governo sírio contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI, ex-Isis) na região da Palmira, informaram autoridades neste domingo (17).

Porém, a partir de hoje, a situação "está completamente sob controle" e, de acordo com o responsável pelo sítio arqueológico da cidade, Mamoun Abdulkarim, nenhum dano ao Patrimônio da Unesco foi registrado.

Leia também:  Forças especiais dos EUA entram na Síria e matam líder do Estado Islâmico

"Hoje temos boas notícias e estamos muito melhores. Não há danos às relíquias. Mas, isso não significa que não devemos mais ter mais medo", ressaltou Abdulkarim.

O responsável ainda afirmou que os jihadistas chegaram a um quilômetro das relíquias protegidas pela entidade internacional. 

Leia mais:  Entenda a violência extrema dos militantes do Estado Islâmico

Porém, Ramadi, que é a capital da maior província do Iraque, já está completamente nas mãos dos extremistas.

Veja algumas vítimas do Estado Islâmico:


    Leia tudo sobre: estado islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.