Tamanho do texto

Manifestantes que se queixam da elevação brusca dos preços e da escassez de produtos prometeram continuar nas ruas até Maduro renunciar

Reuters

Três venezuelanos morreram por ferimentos de bala durante protestos contra o presidente socialista Nicolás Maduro, disseram testemunhas e a mídia local no sábado (23), elevando para 34 o saldo de mortes em quase dois meses de manifestações anti-governo.

Prejuízo: Manifestações na Venezuela causaram danos de R$ 23 bilhões, diz Maduro


Tropas entraram em conflito brevemente com um pequeno grupo de manifestantes que tentavam bloquear uma estrada em uma vizinhança abastada de Caracas depois que milhares de simpatizantes da oposição saíram em passeata para exigir a soltura de estudantes presos durante os distúrbios.

Leia mais: Venezuela prende dois prefeitos da oposição acusados de 'incitar a violência'

Manifestantes que se queixam da elevação brusca dos preços e da escassez de produtos prometeram continuar nas ruas até Maduro renunciar, embora haja poucos sinais de que os piores tumultos em uma década irão forçá-lo a entregar o cargo.

Os protestos começaram no mês passado, com manifestações esporádicas de universitários, e se intensificaram depois que três pessoas morreram após um comício no centro de Caracas no dia 12 de fevereiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.