Tamanho do texto

Mais de quatro dias após sumiço do voo 370, Malásia não sabe o que aconteceu com a aeronave nem onde deve procurá-la

Mais de quatro dias depois que o voo 370 desapareceu sobre o sudeste da Ásia , autoridades da Malásia não apenas não sabem o que aconteceu com o avião, como não parecem ter segurança de onde procurá-lo. O avião da Malaysia Airlines desapareceu no sábado com 239 pessoas a bordo (227 passageiros e 12 tripulantes) em um voo entre Kuala Lumpur e Pequim, na China.

Saiba mais: Como é possível um Boeing 777 simplesmente desaparecer?

Parentes dos passageiros a bordo do voo desaparecido da Malaysia Airlines deixam sala de hotel após reunião com oficiais malaios, em Pequim, China
AP
Parentes dos passageiros a bordo do voo desaparecido da Malaysia Airlines deixam sala de hotel após reunião com oficiais malaios, em Pequim, China

Terça:  Buscas na Ásia vão ao Estreito de Malaca, onde avião entrou após desviar rota

Nesta quarta-feira, autoridades anunciaram que mais uma vez expandiram a área de busca. Ela agora cobre 69.930 km², mais do dobro do tamanho da área sendo vasculhada apenas um dia antes.

À rede de TV CNN, o especialista em aviação Richard Quest disse que uma expansão tão dramática nesse ponto da investigação é problemática. "Nesse ponto da investigação e da busca e resgate, esperaria ver uma compreensão mais definida da rota, aonde o avião se dirigia e um estreitamento da busca com base nessas informações", afirmou.

Saiba mais: Relembre outros dez misteriosos desastres aéreos

Por causa da falta de uma direção clara, o Vietnã anunciou nesta quarta que está retirando seus esforços de resgate até que as autoridades da Malásia obtenham melhor informação sobre onde procurar o avião. O vice-ministro dos Transportes do Vietnã, Phan Quy Tieu, disse que as informações fornecidas pela Malásia eram "insuficientes". 

Polícia: Um dos homens com passaporte roubado em voo da Ásia não é terrorista

Em uma coletiva nesta quarta, o ministro dos Transportes da Malásia, Hishamuddin Bin Hussein, defendeu como seu governo lida com o caso. "Temos sido muito consistentes na busca", afirmou.

Veja galeria de fotos sobre o desaparecimento da aeronave:

Dor: Chineses reclamam por falta de notícias sobre voo desaparecido na Malásia

Confusão sobre a rota do voo

Mas mesmo descobrir onde as autoridades acreditam que o avião caiu tem sido uma proposição difícil e mutante. Logo após o desaparecimento da aeronave, os esforços de busca e resgate se concentraram no Golfo da Tailândia, ao longo da rota esperada do voo entre a Malásia e o Vietnã.

Durante o fim de semana, as autoridades repentinamente expandiram da busca para o outro lado da Península de Malay Peninsula, no Estreito de Malaca, onde os esforços parecem agora se concentrar. Esse local fica a centenas de quilômetros da rota esperada do voo.

Uma explicação pareceu surgir na terça-feira, quando um graduado funcionário da Força Aérea da Malásia informou à CNN que a aeronava foi rastreada em um lugar perto da pequena ilha de Pulau Perak, na costa da Malásia no Estreito de Malaca. O transponder de identificação da aeronave parou de enviar sinais também, disse a autoridade sob condição de anonimato.

Mas a administração civil da Malásia pareceu contestar a informação. O New York Times citou um porta-voz do gabinete do primeiro-ministro da Malásia afirmando na terça que oficiais militares lhe disseram que não havia provas de que o avião voou de volta pela Península de Malay para o Estreito de Malaca.

Então, em outra mudança, autoridades da Malásia disseram em uma coletiva nesta quarta que registros de radares revistos logo após o desaparecimento da aeronave revelam um avião não identificado através da Península de Malay e cerca de 321,9 km no Estreito de Malaca. Entretanto, não está claro se o sinal de radar representava o voo da Malaysia Airlines, disse o chefe da Força Aérea da Malásia, general Rodzali Daud.

Última comunicação

A última comunicação recebida do voo da Malaysia Airlines sugere que tudo estava normal a bordo minutos antes do sumiço da aeronave sobre o mar do sul da China, divulgaram as autoridades nesta quarta-feira (12). O voo MH370 respondeu “Tudo bem, entendido” a uma mensagem de rádio enviada pelo controle aéreo da Malásia, dizem as autoridades.

As autoridades malaias revelaram detalhes sobre a última comunicação da aeronave em reunião realizada em Pequim com parentes dos 154 chineses que estão entre os passageiros desaparecidos. Quando o avião atingiu o limite de espaço aéreo entre a Malásia e o Vietnã, o controle aéreo da Malásia anunciou que transferia as orientações ao controle da cidade de Ho Chi Minh, no Vietnã.

Minutos depois, todos os contatos com o voo MH370 foram perdidos. O Ministério de Relações Exteriores da China disse que as informações sobre o desaparecimento são “muito caóticas”. Há diferentes informações sobre a última localização da aeronave enquanto as buscas entram em seu quinto dia.

*Com BBC, CNN e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.