Tamanho do texto

Foi o terceiro dia seguido em que missão tenta passar pelo istmo que liga a península do mar Negro ao restante da Ucrânia

Reuters

Tiros de alerta foram disparados quando uma missão militar de observação desarmada da OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa) foi repelida ao tentar atravessar neste sábado (08) para entrar na região ucraniana da Crimeia, informou o órgão de segurança europeu. Não houve feridos.

Foi o terceiro dia seguido em que a missão da OSCE tenta passar pelo istmo que liga a isolada península do mar Negro ao restante da Ucrânia.

Lado russo: Grande comboio russo se dirige para base perto de capital da Crimeia

Uma porta-voz da OSCE afirmou que a missão estava voltando para a maior cidade nas proximidades, Kherson, para decidir o que fazer. A missão foi convidada pelo governo ucraniano, mas autoridades separatistas da Crimeia disseram não ter dado permissão para que os membros entrem na região.

Forças russas tomaram o controle da região na semana passada, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou que Moscou tem o direito de invadir a Ucrânia para proteger cidadãos russos na localidade. Moscou afirmou que não enviou tropas além das que já possui normalmente na frota do mar Negro, algo que os Estados Unidos classificaram como "ficção de Putin".

Mais: Premiê da Crimeia diz que ninguém pode cancelar referendo sobre união com Rússia

Tensão entre tropas

As tensões aumentaram depois que discussões durante a madrugada entre tropas russas e soldados ucranianos sitiados terem realçado ainda mais o maior confronto político entre Ocidente e Oriente. Os níveis de pressão cresceram muito na região nos últimos dois dias, desde quando a liderança regional declarou que agora faz parte da Rússia e anunciou um referendo em 16 de março para confirmar a mudança.

O presidente russo, Vladimir Putin, declarou há uma semana que a Rússia tem o direito de invadir a Ucrânia para proteger cidadãos russos, e seu Parlamento aprovou uma mudança na lei para que fique mais fácil anexar territórios.

Até agora, a tomada russa da península localizada no Mar Negro não teve violência, mas as forças da Rússia têm ficado cada vez mais agressivas contra as tropas ucranianas, cercadas em bases e sem oferecer resistência.

O serviço de imigração ucraniano afirmou que tropas russas também tomaram postos fronteiriços localizados no leste da península, despejando autoridades ucranianas e suas famílias de seus apartamentos no meio da madrugada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.