Tamanho do texto

No Paquistão, estupro coletivo foi utilizado para punir aldeã. Sauditas podem ser chicoteadas e chinesas, obrigadas a abortar

Em 2002, Mukhtar Mai, uma aldeã analfabeta da Província de Punjab, Paquistão, foi atacada e estuprada por seis homens. Eles cumpriam ordens do clã Mastoi, o mais poderoso da aldeia de Meerwala. O motivo? Ela foi punida para vingar a vergonha que seu irmão, com 12 anos à época, submeteu todo clã ao se envolver com uma mulher Mastoi.

Infográfico: Saiba mais sobre as mulheres no mundo árabe e muçulmano

Inconformada, Mukhtar iniciou uma batalha legal contra os criminosos e se tornou símbolo da defesa dos direitos das mulheres no Paquistão e no mundo. Em 2011, porém, o grupo foi julgado e cinco deles, libertados pela Suprema Corte do Paquistão. O sexto homem, então condenado à morte, teve a sentença comutada por prisão perpétua.

O caso da violência contra a mulher não se resume apenas ao da paquistanesa. Veja na galeria de fotos os principais deles, cometidos nos países que a Thomas Reuters Foundation e a ONU consideram os mais perigosos para as mulheres.  


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.