Tamanho do texto

Terremoto de magnitude 6,6 atingiu o condado de Lushan, perto da cidade de Ya'an, na província de Sichuan, a uma profundidade de 12 quilômetros

Reuters

Moradores fotografaram através da janela de um carro a destruição de Sichuan após o terremoto (20/04/2013)
Reuters
Moradores fotografaram através da janela de um carro a destruição de Sichuan após o terremoto (20/04/2013)

Equipes de resgate alcançaram um canto remoto do sudoeste da China neste domingo (21), quando o número de mortos do pior terremoto do país em três anos subiu para 164, com mais de 6.700 feridos, informou a mídia estatal.

O terremoto de magnitude 6,6 atingiu o condado de Lushan, perto da cidade de Ya'an, na província de Sichuan, a uma profundidade de 12 quilômetros, perto de onde um devastador tremor de 7.9, em maio 2008, matou cerca de 70.000 pessoas.

Leia também: Resgate enfrenta dificuldade para chegar a sobreviventes na China

A maioria das mortes se concentra em Lushan, a uma curta viagem de Ya'an, mas o acesso das equipes de resgate foi dificultado pela estrada estreita e por deslizamentos de terra.

"O centro do condado de Lushan está voltando ao normal, mas as necessidades ainda são consideráveis em termos de abrigo e materiais", disse Kevin Xia, da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.

"Suprimentos têm tido dificuldade em entrar na região por causa dos engarrafamentos. A maioria dos nossos suprimentos ainda estão a caminho", disse Xia.

Chen Yong, vice-diretor do comitê de resposta ao terremoto do governo da cidade de Ya'an, disse a jornalistas que o número de mortos não deveria subir muito mais.

"Nós entendemos a situação na maioria das áreas. A maioria das vítimas foi relatada. Em algumas áreas montanhosas remotas, é possível que nós não tenhamos avaliado completamente a situação", disse ele.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.