Tamanho do texto

Segundo suspeito teria sido baleado várias vezes e, depois de ser capturado, foi levado para um hospital local. Os médicos consideram seu estado grave, porém estável

BBC

As autoridades americanas iniciaram a investigação para saber se os dois suspeitos do atentado à bomba contra a Maratona de Boston tiveram ajuda para realizar o ataque. Um dos suspeitos, Dzhokhar Tsarnaev, de 19 anos, foi encontrado na noite de sexta-feira escondido em um barco guardado em um quintal de uma casa perto de Boston.

Fim da caçada: EUA prendem segundo suspeito de ataque em Boston
Ataque em Boston: Veja cronologia dos principais acontecimentos

Reprodução de imagem que mostra o momento que suspeito deixa o barco em que estava escondido
Reprodução/BBC
Reprodução de imagem que mostra o momento que suspeito deixa o barco em que estava escondido

Ele havia escapado a pé depois de um confronto com a polícia na madrugada desta sexta-feira, aparentemente ferido. O irmão dele, Tamerlan Tsarnaev , de 26 anos, morreu durante o tiroteio com a polícia.

Os investigadores da CIA, a agência secreta americana, e do FBI, a polícia federal dos Estados Unidos, tentam descobrir se os dois tiveram alguma ajuda na elaboração e execução do ataque que causou a morte de três pessoas e deixou mais de 170 feridas.

Autoridades americanas e familiares dos suspeitos indentificaram os irmãos Tsarnaev como tchetchenos que viviam nos Estados Unidos há cerca de uma década.

O FBI chegou a interrogar Tamerlan em 2011 a pedido de um governo estrangeiro. Porém, o caso foi encerrado depois que as autoridades não encontram provas para suspeitar dele. Também surgiu a informação de que Tamerlan passou seis meses na Rússia em 2012.

Não se sabe qual governo alertou os EUA. Segundo o correspondente da BBC Paul Adams, há uma hipótese forte de que o alerta tenha partido de Moscou.

Agora, com a captura de Dzhokhar, o correspondente da BBC afirma que as informações que o FBI já tinha sobre as atividades de Tamerlan deverão ser examinadas com mais atenção.

O governo da Rússia afirmou neste sábado que o presidente, Vladimir Putin, conversou por telefone com o colega americano, Barack Obama, e os dois concordaram em aumentar a cooperação depois dos ataques.

Em um discurso em cadeia de televisão momentos após a confirmação da caputra de Dzhokhar Tsarnaev, Obama afirmou que o maior desafio das autoridades a partir de agora será descobrir o motivo dos ataques e se há mais pessoas envolvidas.

Dentro do barco

Dzhokhar Tsarnaev foi encontrado escondido em um barco guardado em um quintal no distrito de Watertown, perto de Boston. Ele teria sido baleado várias vezes e, depois de ser capturado, foi levado para um hospital local. Os médicos consideram seu estado grave, porém estável. As autoridades afirmam que esperam que Dzhokhar sobreviva para que eles comecem os interrogatórios.

A busca pelo segundo suspeito do atentado à bomba contra a Maratona de Boston havia começado na madrugada de sexta-feira, quando o jovem escapou à pé, aparentemente ferido, depois de um tiroteio com a polícia no qual o outro suspeito, o irmão mais velho de Dzhokhar, Tamerlan Tsarnaev, foi morto.

Reprodução de vídeo mostra Dzhokhar Tsarnaev, suspeito por ataque em Maratona de Boston, em ambulância depois de ser capturado em barco
AP
Reprodução de vídeo mostra Dzhokhar Tsarnaev, suspeito por ataque em Maratona de Boston, em ambulância depois de ser capturado em barco

A prisão do suspeito ocorreu uma hora após as autoridades suspenderem um toque de recolher imposto a toda a cidade. Ele foi encontrado devido à denúncia de um morador da rua Franklin, em Watertown, que, ao sair de casa após o toque de recolher, viu um rastro de sangue que levava até o barco em seu quintal.

Ao levantar a lona que cobria o barco, ele encontrou um jovem coberto de sangue e chamou a polícia. Equipes do esquadrão anti-bombas, ambulâncias e helicópteros cercaram a casa.

"A equipe de negociações com reféns tentou conversar com ele, mas, até onde sei, ele não se comunicou", afirmou o chefe da polícia de Boston, Ed Davis.

Policiais e agentes do FBI trocaram tiros durante uma hora com Dzhokhar e o capturaram com vida. Imagens mostram o adolescente saindo do barco e então deitado de costas enquanto a polícia fazia uma revista.

Quando ele foi capturado, multidões começaram a comemorar nas ruas gritando "Estados Unidos".

Milhares de agentes e grupos táticos da Swat (forças especiais) participaram de uma caçada ao estudante Dzhokhar durante todo o dia.

Ele conseguiu escapar de um intenso conflito com a polícia que envolveu perseguição de carros e um tiroteio no qual foram disparados mais de 200 projéteis. Durante o confronto, seu irmão Tarmelan chegou a arremessar uma bomba caseira e granadas contra policiais, antes de ser morto.

A dupla também matou a tiros um segurança de universidade e feriu gravemente outro logo depois que suas imagens, captadas por câmeras de segurança, foram divulgadas a pedido do FBI (polícia federal americana) pela imprensa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.