Tamanho do texto

Presidente americano destaca 'momento desafiador' pelo qual passa o país latino-americano em meio a acusações do governo de conspiração dos EUA contra Chávez

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse nesta terça-feira (5) que os EUA estão interessados em começar uma nova relação com a Venezuela, após a morte de seu presidente socialista, Hugo Chávez .

'Conspiração': Vice venezuelano diz que 'inimigos' causaram câncer de Chávez

Leia também:  Morre aos 58 anos Hugo Chávez, presidente da Venezuela

Em abril de 2009, na Cúpula das Américas, Obama troca um breve cumprimento com Chávez
AP
Em abril de 2009, na Cúpula das Américas, Obama troca um breve cumprimento com Chávez


Galeria de fotos: Veja trajetória de Hugo Chávez em imagens

Governo: Saiba mais sobre o círculo de poder chavista

"Nesse momento desafiador da morte do presidente Hugo Chávez, os Estados Unidos reafirmam seu apoio ao povo venezuelano e seu interesse em desenvolver uma relação construtiva com o governo venezuelano", disse Obama em comunicado.

O presidente acrescentou que os EUA permanecem comprometidos com medidas que promovam princípios democráticos à medida que a Venezuela "começa um novo capítulo em sua história".

Reação: Vice pede união, e venezuelanos choram e lamentam morte de Chávez

Brasil: 'Morreu um grande latino-americano', diz Dilma sobre Hugo Chávez

Chávez morreu nesta terça-feira às 16h25 locais (17h55 em Brasília) aos 58 anos. Ele  havia voltado a Caracas no dia 18 , após ter sido submetido em Cuba em 11 de dezembro a uma quarta cirurgia relativa a um câncer não especificado na região pélvica, que havia sido diagnosticado em junho de 2011 .

Em seu comunicado, Obama não respondeu às acusações feitas mais cedo pelo vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro , de que o câncer do presidente foi causado por seus "inimigos" - em clara alusão aos EUA, principal alvo das críticas de Chávez.

Perspectiva: Morte de Chávez abre caminho para novas eleições na Venezuela

Maduro disse que tem pistas para colocar em curso uma investigação científica e comprovar a denúncia. O vice também acusou os EUA de tentar desestabilizar a Venezuela e anunciou a expulsão de dois adidos aeronáuticos da embaixada americana em Caracas, sob a acusação de fazer contatos com as Forças Armadas venezuelanas contra o país.

Com Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.