Tamanho do texto

Em nota, vice-presidente diz que equipe médica indicou que recuperação pós-cirúrgica de líder venezuelano tem de estender-se, o que obrigará à prorrogação da cerimônia de posse

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez , não tomará posse para seu quarto mandato na quinta-feira, anunciou nesta terça-feira o presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello , ao ler um comunicado do vice-presidente Nicolás Maduro .

Capriles:  Suprema Corte deve decidir sobre posse de Chávez

Funcionário de embaixada da Venezuela segura retrato do presidente Hugo Chávez durante missa em Regla, Cuba
AP
Funcionário de embaixada da Venezuela segura retrato do presidente Hugo Chávez durante missa em Regla, Cuba

Impasse por posse: Oposição alerta OEA sobre risco de violação constitucional

Chávez, que se submeteu à sua quarta cirurgia por um câncer em 11 de dezembro, está em um hospital de Havana, Cuba, e sofre complicações causadas por uma infecção pulmonar . Ele foi reeleito em outubro para seu quarto mandato, o que lhe permitiria ficar no poder até 2019, quando totalizaria 20 anos na presidência.

Na nota, Maduro explicou que a equipe médica encarregada da saúde do líder venezuelano indicou que sua recuperação pós-cirúrgica deve estender-se. Por causa disso, continua o texto, a posse terá de ser prorrogada.

O anúncio foi feito depois de o líder opositor da Venezuela, Henrique Capriles, dizer que a Suprema Corte deveria definir a disputa entre a oposição e o governo venezuelano sobre se a posse poderia ser legalmente adiada.

Capriles, que foi derrotado por Chávez em outubro, disse que a Constituição é clara ao indicar que o atual mandato presidencial termina no dia 10. Outros líderes da oposição argumentam que a posse não pode ser legalmente realizada, dizendo que o presidente da Assembleia Nacional do país deveria assumir interinamente na ausência de Chávez.

Previamente às suas declarações, sua coligação partidária, a Mesa da Unidade Democrática (MUD), alertou em carta enviada à Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre a possibilidade de rompimento constitucional caso a posse fosse adiada.

A Constituição da Venezuela diz que a posse deve ser feita perante os parlamentares na Assembleia Nacional em 10 de janeiro, fazendo a ressalva de que o presidente pode também fazer seu juramento perante a Suprema Corte se não for possível comparecer à Assembleia Nacional.

Por seis meses: Brasil apoia prorrogação de prazo para Chávez assumir

Henrique Capriles, opositor da Venezuela, segura Constituição do país durante coletiva em Caracas
Reuters
Henrique Capriles, opositor da Venezuela, segura Constituição do país durante coletiva em Caracas

Análise: Sem Chávez, Venezuela vê declínio de influência regional

O vice-presidente Maduro, apontado por Chávez como seu sucessor político, caracterizou a cerimônia de uma "formalidade" e disse que a oposição interpretou incorretamente a Carta. Ao anunciar a terceira recorrência do câncer, Chávez disse que, se ficasse incapaz de exercer a presidência, Maduro deveria assumir seu lugar e concorrer nas eleições para substituí-lo . Capriles disse, porém, que "Maduro não foi eleito".

Chávez não fala em público desde antes da cirurgia em Cuba. Na segunda, o governo disse que ele está em uma " situação estável " em um hospital cubano, recebendo tratamento por causa da severa infecção respiratória.

*Com AP, BBC e informações do jornal venezuelano El Universal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.