Tamanho do texto

Período deve ser considerado por homens e mulheres que estiveram em regiões tomadas pela epidemia, apresentando ou não sintomas da infecção

Principal forma de se prevenir da infecção por zika é evitando ser picado pelo mosquito Aedes aegypti, vetor da doença
Pixabay
Principal forma de se prevenir da infecção por zika é evitando ser picado pelo mosquito Aedes aegypti, vetor da doença

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aumentou o período recomendado para prática de sexo seguro após infecção por zika. De acordo com documento publicado em 7 de janeiro, homens que estiveram em áreas tomadas pela epidemia devem deixar de fazer sexo ou optar pelo uso da camisinha por oito semanas. Já o texto publicado nesta terça-feira (6) estende para seis meses o período.

LEIA MAIS:  Microcefalia por zika vírus também pode causar surdez em crianças

A recomendação vale para homens com ou sem sintomas de infecção por zika . A partir de agora, mulheres também devem seguir as ordens da OMS. A mudança foi necessária já que novos estudos indicam que não só o mosquito Aedes aegypti transmite o vírus, mas também o contato sexual.

A preocupação se deu após o crescente número de casos de microcefalia, problemas neurológicos e a síndrome de Guillain-Barré. A transmissão pode ocorrer de homens sem sintomas para suas parceiras e mulheres com sintomas para o companheiro, além de outras formas.

LEIA MAIS:  Entenda como o zika vírus causa a microcefalia durante a gravidez

Há evidências também de o vírus poder estar presente no sêmen de homens infectados, mas ainda não se sabe quão influente pode ser e qual impacto pode causar. As recomendações da OMS podem ser revistas de acordo com novas descobertas.

Sobre o zika vírus

A infecção por zika pode causar manchas vermelhas pelo corpo, febre, vermelhidão nos olhos, dores pelo corpo e na cabeça. De acordo com o Ministério da Saúde, a evolução da doença é benigna e os sintomas geralmente desaparecem após três a sete dias.

A principal forma de se prevenir é evitando ser picado pelo mosquito Aedes aegypti. Evitar água parada é a melhor maneira de evitar que o inseto se reproduza, além de manter reservatórios de água devidamente tampados. É recomendado também uso de repelentes e roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia, quando os mosquitos são mais ativos. É possível também denunciar possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde.

LEIA MAIS:  Falta de hormônio pode causar ganho de peso após cirurgia bariátrica

Em caso de suspeita da infecção por zika, o melhor é procurar um médico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.