Tamanho do texto

NS4A e NS4B têm duas funções específicas: desorientar células do cérebro do feto, tornando-as deficientes, e mobilizar a proliferação do zika vírus

Foi investigado como a zika causa a microcefalia a partir de linhagens de células-tronco neurais de fetos humanos
Pixabay
Foi investigado como a zika causa a microcefalia a partir de linhagens de células-tronco neurais de fetos humanos

Cientistas da Universidade do Sul da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriram quais proteínas da zika são responsáveis pela microcefalia. O vírus é formado por dez proteínas, mas apenas duas estão relacionadas à malformação. O estudo foi publicado nesta quinta-feira (11) pela revista científica Cell Stem Cell.

LEIA MAIS: Zika vírus pode causar deformidades em articulações de bebês, diz pesquisa

Segundo os autores, esta é a primeira vez que o vírus é analisado em nível molecular. Foi investigado como a zika causa a microcefalia a partir de linhagens de células-tronco neurais de fetos humanos.

Os especialistas infectaram essas células, em seu segundo trimestre de desenvolvimento, com três diferentes linhagens do vírus. O passo seguinte consistiu em analisar o impacto da infecção de acordo com a presença de cada uma das 10 proteínas que são codificadas pelo RNA da zika.

Eles descobriram que as proteínas NS4A e NS4B têm duas funções específicas: desorientar o mecanismo de sinalização das células do cérebro do feto, tornando-as deficientes, e mobilizar as forças dessas células para acelerar a proliferação do vírus.

LEIA MAIS: Flórida anuncia quatro novos casos de transmissão local de zika

De acordo com o estudo, quando as duas proteínas sequestram as células-tronco neurais dos fetos, o crescimento delas é reduzido em 65%. Além disso, a diferenciação de células-tronco neurais em neurônios maduros e outras células cerebrais é reduzida em 51%. A descoberta pode ajudar os especialistas a encontrar as melhores terapias contra a microcefalia.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.