Tamanho do texto

Apesar do zika estar relacionado só com parte dos casos, maioria das mães de crianças com o problema estava infectada com o vírus durante a gestação

Região Nordeste concentra 1.466 casos de microcefalia dos 1.709 registrados pelo Ministério da Saúde em todo o País
Diego Herculano/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo
Região Nordeste concentra 1.466 casos de microcefalia dos 1.709 registrados pelo Ministério da Saúde em todo o País

Mais 22 casos de microcefalia foram confirmados no País, segundo o Ministério da Saúde nesta quarta-feira (20), além de 102 óbitos. A pasta já registrou 1709 bebês com o problema em 595 municípios de todos os Estados desde outubro de 2015. Só a região Nordeste concentra mais de 1,4 mil das crianças.

LEIA MAIS:  Famílias de pessoas com microcefalia terão preferência no Minha Casa Minha Vida

As últimas analises divulgadas foram realizadas entre os dias 10 e 16 de julho, e ainda há mais de 3,1 mil casos de microcefalia sendo investigados. Já foram feitas 8.571 notificações da doença ao Ministério da Saúde, sendo que 3.680 puderam ser descartadas por apresentarem exames normais ou malformação confirmada por causa não infecciosa.

O zika foi confirmado como a causa de 267 malformações, mas o ministério acredita que o número não representa a totalidade de casos relacionados ao vírus, já que a maior parte das mães que tiveram bebês com diagnóstico final da doença estava infectada durante a gestação .

Zika vírus

O Brasil já registrou 165.932 casos de infecção por zika em 2016. Assim como a microcefalia, o vírus também está presente em todas as regiões do País, porém em mais cidades: 1.850.

O problema ocorre principalmente no Centro-Oeste, onde a média registrada é de 163 casos para cada 100 mil habitantes. Os números superam os de chikungunya – 137.808 em 2016, maior incidência no Nordeste. Ambas as doenças são transmitidas pelo mosquito Aedes Aegipty, o mesmo vetor da dengue.

A infecção pelo zika é uma das causas da malformação em bebês, que também pode ocorrer quando há consumo de álcool durante a gravidez, exposição a substâncias químicas ou desnutrição.

A microcefalia é um problema congênito em que o cérebro não se desenvolve como deveria. Os bebês acabam nascendo com um perímetro cefálico menor que 32 cm .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.