Tamanho do texto

Ao todo, agora são 1.581 casos registrados de outubro de 2015 até o dia 11 de junho de 2016 em todos país, menos o Acre

Agência Brasil

Mais de 3 mil bebês com suspeita de malformações ainda não tiveram diagnóstico concluído
Diego Herculano/ Brazil Photo Press/ Estadão Conteúdo
Mais de 3 mil bebês com suspeita de malformações ainda não tiveram diagnóstico concluído

Na última quarta-feira (15), o Ministério da Saúde confirmou o diagnóstico de microcefalia e outras alterações no sistema nervoso em 30 bebês, todos sugestivos de terem sido causados por infecção congênita. Ao todo, agora são 1.581 casos registrados de outubro de 2015 até o dia 11 de junho de 2016. Outros 3.047 bebês com suspeita de malformações ainda não tiveram os exames concluídos para diagnóstico preciso.

Do total de confirmados, 226 tiveram exames laboratoriais comprovando que foram causados pelo vírus Zika. Entretanto, para o Ministério da Saúde este número não reflete a realidade. Para a pasta, a maior parte dos confirmados foram causados pelo vírus Zika, mas, por dificuldades de diagnosticar a doença, a situação não foi comprovada em laboratório.

O novo boletim registrou 3.308 casos descartados por apresentarem exames normais, por apresentarem microcefalia, malformações confirmadas por causa não infecciosas ou não se enquadrarem na definição de caso.

Os 1.581 casos confirmados em todo o Brasil ocorreram em 562 municípios, localizados em 25 unidades da Federação e no Distrito Federal - a maior parte (1.394) no Nordeste. Não existe registro de confirmação apenas no Estado do Acre.