Tamanho do texto

Fumacê não apresentou bons resultados na redução dos casos de dengue e OMS questiona a eficácia no zika vírus

Aedes aegypti
Fábio Mota/Agência Estado
Aedes aegypti

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta quarta-feira que o tradicional método de pulverizar inseticida não teve impacto significativo sobre o avanço da dengue, o que significa que sua eficácia contra o zika vírus, transmitido pelo mesmo mosquito, também pode ser questionada.

Durante um evento para apresentar as conclusões de um estudo sobre o zika, a vice-diretora-geral da OMS, Marie-Paule Kieny, afirmou que "faltam evidências" de que os métodos clássicos de combate ao mosquito tiveram efeito em reduzir os casos. O mesmo se aplica ao zika vírus, disse.

Os pesquisadores também se questionaram se o uso de técnicas inovadoras, como a introdução de mosquitos geneticamente modificados, podem ser necessárias para evitar o surto. Eles disseram, no entanto, que o uso de tais ferramentas deve ser avaliada com "extremo rigor".

No mês passado, o OMS declarou que o surto de zika nas Américas era uma emergência global.

Fonte: Associated Press.

Veja os locais em que o Aedes aegypti se esconde:



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.