Tamanho do texto

A pedido do presidente cubano, nove mil soldados foram designados para eliminar o Aedes aegypti no país

Estudante está em quarentena junto com outros alunos de medicina
iStock
Estudante está em quarentena junto com outros alunos de medicina

O governo de Cuba anunciou a detecção do primeiro caso do vírus da zika na ilha, que era uma das poucas nações do Hemisfério Ocidental livre da doença. A primeira pessoa que contraiu a doença na ilha é uma estudante de Medicina venezuelana, de 28 anos, que chegou ao país em 21 de fevereiro, segundo o Ministério da Saúde.

Um dia após chegar, a mulher sentiu febre alta e teve erupções cutâneas, segundo as informações oficiais, divulgadas nos meios estatais. A paciente está em quarentena, junto com outros estudantes de Medicina.

Um primeiro teste para a detecção da zika deu negativo, mas o segundo, realizado em 28 de fevereiro, foi positivo para a doença.

>> Veja os locais em que o Aedes aegypti se esconde e elimine os criadouros:

O presidente Raúl Castro afirmou, em 22 de fevereiro, que o país confiava ao Exército a luta contra o mosquito Aedes aegypti, vetor da doença. Nove mil soldados foram designados para trabalhos de fumigação em todo o país.

Fonte: Associated Press.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.