Tamanho do texto

Segundo a diretora-geral da organização, a relação entre a infecção por zika vírus na gravidez e a microcefalia não é cientificamente comprovada, mas é “altamente provável”

Mulheres que estiveram grávidas podem ser infectadas pelo zika e transmitir para seus bebês
BBC (arquivo)
Mulheres que estiveram grávidas podem ser infectadas pelo zika e transmitir para seus bebês

Grávidas devem evitar viagens para locais onde circula o zika vírus, recomendou nesta segunda-feira (1º) a diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan. A entidade declarou nesta tarde, em Genebra, situação de emergência em saúde pública de interesse internacional devido à possível relação entre o vírus e o nascimento de crianças com microcefalia.

O comitê emergencial técnico da OMS, criado para estudar a situação, não vê motivos para restringir viagens ou comércio com os países afetados. A recomendação da diretora-geral se aplica exclusivamente a grávidas. No mês passado, o Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos fez a mesma recomendação às gestantes. Segundo a OMS, 23 países registram a circulação do vírus.

Para Margaret Chan, a ação mais importante no momento é controlar a população do mosquito Aedes aegypti , vetor da zika, dengue e febre chikungunya. A diretora também recomenda que as gestantes que estão nas áreas afetadas pelo mosquito se protejam com “repelentes seguros” e com “roupas longas”, para evitar a picada do mosquito.

O presidente do comitê da OMS, David L. Heymann, disse que o zika vírus, por si só, não é considerado uma emergência internacional. “Como sabemos, não é uma condição clinicamente séria”, disse.  A possível relação do vírus com o nascimento de crianças com síndromes neurológicas é que constitui a emergência.

O pesquisador afirma que são necessários mais estudos para a confirmação científica da relação entre o vírus e a microcefalia. “Não sabemos quanto tempo vai levar até comprovarmos essa relação”, disse.

Segundo a diretora-geral da OMS, a relação entre a infecção por zika vírus na gravidez e a microcefalia não é cientificamente comprovada, mas é “altamente provável”.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.