Tamanho do texto

Em apenas sete dias, número de casos passaram de 312 para 450 no Estado; Paraíba e Ceará também tiveram grande alta

Ministério da Saúde confirmou quatro mortes por microcefalia relacionados ao zika vírus no País
Edmar Melo JC Imagem
Ministério da Saúde confirmou quatro mortes por microcefalia relacionados ao zika vírus no País

A Bahia teve alta de 44% nos casos suspeitos de microcefalia causada por zika vírus em apenas sete dias. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (12) no último boletim do Ministério da Saúde. 

O balanço mostra que até o último sábado (9) foram notificadas 450 ocorrências de malformação por infecção do vírus no Estado. Na semana passada, dados computados até 2 de janeiro mostravam que eram 312 casos suspeitos, ou seja, aumentaram 138. As investigações da pasta começaram em 22 de outubro de 2015.

O segundo Estado que teve mais aumento foi a Paraíba: o número passou de 504 para 569 ocorrências em uma semana. A seguir vem Ceará, de 134 casos para 192. Logo após está Pernambuco, o Estado com mais casos registrados de microcefalia causada por zika vírus, de 1.185 casos para 1.236. Nesta lista também está o Rio Grande do Norte (de 169 para 181), Alagoas (de 139 para 149), Sergipe (de 146 para 155), Mato Grosso (de 123 para 129) e Rio de Janeiro (de 118 para 122).

O novo boletim do Ministério aponta que houve um aumento de 11% desses casos no Brasil inteiro em uma semana. As ocorrências chegaram a 3.530  – casos notificados até o último sábado. Na outra semana, até 2 de janeiro, eram 3.174.

Além disso, a pasta também confirmou quatro mortes no Rio Grande do Norte por malformação congênita relacionados ao zika vírus. Outros 46 óbitos de bebês com microcefalia que tenham possível relação com o vírus estão sendo investigados, todos na região Nordeste.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.