Tamanho do texto

Fernanda Gomes de Castro, que responde em liberdade, é suspeita de envolvimento pelo desaparecimento e suposta morte de Eliza Samudio

selo

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) negou nesta quarta-feira um novo recurso de Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do goleiro Bruno, pedindo que ela não fosse levada a júri popular. 

Saiba mais sobre o caso do goleiro Bruno

Fernanda Gomes Castro, quando prestou depoimento no Departamento de Investigações, em Belo Horizonte
AE
Fernanda Gomes Castro, quando prestou depoimento no Departamento de Investigações, em Belo Horizonte
A decisão é dos desembargadores Herbert Carneiro, Delmival de Almeida Campos e Eduardo Brum. Assim, fica valendo a sentença que determinou que todos os réus do caso sejam julgados pelo Tribunal do Júri de Contagem. 

Leia também: Bruno será julgado em, no mínimo, quatro anos, diz seu advogado

Caso não haja mais recursos internos no prazo máximo de 15 dias após a publicação destes embargos declaratórios, que deve ocorrer em dez dias, o processo será encaminhado à 3ª Vice-Presidência do Tribunal de Justiça. 

Fernanda, que responde em liberdade, é suspeita de envolvimento pelo suposto desaparecimento e morte de Eliza Samudio, de 25 anos, ex-amante do jogador. Ela sumiu em junho de 2010. O corpo da jovem ainda não foi localizado, mas a investigação aponta que o ex-goleiro e outras oito pessoas teriam participado do assassinato. 

Bruno está preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem. O crime teria sido cometido devido a insatisfação do atleta com o pedido de pagamento de pensão de Eliza Samúdio, que tentava provar na Justiça que Bruno é pai de seu filho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.