Tamanho do texto

Jurados participaram na semana passada de um outro julgamento envolvendo o ex-policial Marcos Aparecido, o Bola

A juíza Marixa Fabiane Rodrigues dispensou sete jurados do julgamento do caso Bruno sob alegação de que eles participaram na última semana de um outro julgamento envolvendo o  ex-policial Marcos Aparecido, o Bola . Ele foi absolvido de ter matado um carcereiro em 2000. Agora, ele é acusado de matar e ocultar o cadáver de Eliza Samudio. 

O advogado Zanone Manuel de Oliveira, que representa Bola, diz que vai pedir a anulação ou suspensão do julgamento. Segundo ele, a juíza contrariou o códio de processo penal ao determinar a exclusão no sorteio dos sete jurados.

“No meu entendimento, este julgamento já tem no seu embrião, na sua gênese a nulidade.“ Assim que ela formalizar a exclusão, ele diz que fará uma petição pedindo a anulação do julgamento. Também vai pedir que, enquanto o Tribunal de Justiça de Minas Gerais não julgar o mérito do pedido de anulação, se suspenda o júri ou reintegre os sete jurados excluídos. “Isso pode acontecer ainda hoje (a suspensão)”, disse Oliveira.

Além dos sete, ela também pediu aos defensores que usem o seu direito de veto para excluir outros cinco possíveis jurados que pediram para não participar por motivo de trabalho ou saúde.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas