undefined
STF/DIVULGAÇÃO
Apesar de admitir chance de fraudes, Gilmar afirmou que as campanhas deste ano deixaram as cidades mais "limpas"

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, admitiu em entrevista coletiva realizada neste domingo (2) que os baixos limites de gastos impostos às campanhas eleitorais deste ano “talvez tenham estimulado o caixa 2”.

LEIA MAISArticulador do impeachment, PMDB é o partido com mais candidatos no País

Segundo o ministro, em 62% dos municípios brasileiros, o teto de gastos é de R$ 108.039,06 para prefeito e de R$ 10.803,91 para vereador. Além disso, a campanha de 2016 trouxe uma novidade em relação às eleições anteriores, que é a proibição do financiamento de campanhas por parte de empresas. Com isso, aumentam as possibilidades de que os candidatos busquem meios de ocultar a origem das receitas.

Gilmar reconheceu a existência de caixa 2 nos pleitos anteriores. O ministro [José Antonio Dias] Toffoli [do Supremo Tribunal Federal], nas eleições de 2014, nos disse que estimava que o caixa 2 tinha desaparecido. A realidade das investigações da Lava Jato, porém, mostra que o caixa 2 continuou”, acrescentou o ministro, citando casos de pagamentos feitos no Exterior a profissionais de marketing.

Apesar de admitir a prática de irregularidades nas prestações de contas, o presidente do TSE elogiou o novo modelo eleitoral. “No aspecto visual, dos sinais exteriores de riqueza, as campanhas estão mais modestas. Isso é um dado positivo, independentemente do que venha a se falar sobre eventuais desvios. As cidades estão mais limpas.”

Segurança

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, informou que as Forças Armadas foram enviadas a 491 cidades em todo o Brasil. O efetivo deslocado para o reforço da segurança nesses municípios é de aproximadamente 25,4 mil militares. O maior contingente foi enviado ao Estado do Rio de Janeiro : cerca de 6 mil. Destes, 2.574 foram para a capital e outros 2.534 para as demais localidades da Região Metropolitana.

LEIA MAIS: Gilmar Mendes diz que eleições de 2016 estão entre as mais violentas

Jungmann salientou que os ministros das áreas de Segurança, Justiça, Defesa e Inteligência deverão se reunir nos próximos dias com o presidente Michel Temer para analisar a situação e propor medidas que garantam mais segurança para os próximos pleitos.

Na campanha eleitoral deste ano, pelo menos 20 candidatos foram assassinados em todo o Brasil, sendo a maior parte na Baixada Fluminense. Em Itumbiara (GO), o candidato a prefeito José Gomes da Rocha morreu após ser baleado durante um comício  na última quarta-feira (28). O ataque também feriu o vice-governador do Estado, José Eliton, que já recebeu alta.

Apuração

Na entrevista, Gilmar Mendes reiterou que os resultados devem ser conhecidos entre três horas e três horas e meia após o encerramento da votação. O ministro também reforçou a segurança das urnas eletrônicas e disse que os ataques feitos por hackers são ao site do TSE, e não ao sistema dos equipamentos.

Nas cidades onde houver segundo turno, o calendário eleitoral define o dia 15 de outubro como data limite para o início da campanha no rádio e na televisão.

    Veja Também

      Mostrar mais