Tamanho do texto

Candidadato do PRB tem 31% das intenções de votos e ganharia em todos os cenários, segundo primeiro levantamento após início oficial da campanha

Ao lado do ex-jogador Marcelinho Carioca, Celso Russomanno (PRB) visita bairro da capital paulista durante campanha
Werther Santana/Estadão Conteúdo - 16.8.16
Ao lado do ex-jogador Marcelinho Carioca, Celso Russomanno (PRB) visita bairro da capital paulista durante campanha

De acordo com a pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (26), Celso Russomanno, candidato do PRB, lidera a corrida à Prefeitura de São Paulo com 31% das intenções de votos e ganharia o segundo turno em todos os cenários pesquisados.

Essa é a primeira aferição depois do início oficial da campanha na terça-feira (16). A margem de erro máxima é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.

LEIA MAIS:  Russomanno e Marta têm candidaturas impugnadas pelo Ministério Público  

Marta Suplicy (PMDB) vem em seguida, com 16% da preferência dos entrevistados. Em terceiro, empatados tecnicamente, aparecem empatados  a deputada federal Luiza Erundina (PSOL), com 10%, o atual prefeito Fernando Haddad (PT), com 8%, e o empresário João Doria (PSDB), com 5%.

LEIA MAIS:  Eleições 2016: partidos doam R$ 16 milhões na largada da campanha

Levy Fidelix (PRTB) e Major Olímpio (SD) têm 2% cada. Já Ricardo Young (Rede) ficou com 1%. Henrique Áreas (PCO) João Bico (PSDC) e Altino (PSTU) não pontuaram.  Votos brancos ou nulos somam 24%, e 7% dos entrevistados preferiram não opinar.

Segundo turno

Em uma eventual disputa com Marta, Russomano ganharia com 51% dos votos, enquanto a senadora ficaria com 32%. No último levantamento revelado pelo instituto em julho, o candidato venceria Marta com 48% ante 31%.

Russomanno ganharia também  de Haddad, com 60% contra 21%. De Doria, com 63% contra 16%, e na disputa com Erundina, com 56% contra 29%.

LEIA MAIS:  Em disputa de votos da periferia paulistana, Marta e Haddad travam "guerra"

O atual prefeito, porém, perderia de Marta em um eventual segundo turno, com 24% da preferência dos eleitores a 47%, e de Erundina, com 25% a 45%. Ele empataria tecnicamente somente com João Doria. Seriam 35% dos votos para o petista e 33% para o tucano.

Rejeição

Atual prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, é o candidato com mais rejeição na capital paulista
Wilson Dias/Agência Brasil
Atual prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, é o candidato com mais rejeição na capital paulista


O candidato do PT continua com a maior rejeição do eleitorado paulistano: 49% falaram que não votariam em Haddad de jeito nenhum. O índice, que em julho era de 45%, subiu.

Em seguida, aparece Marta Suplicy como a segunda mais rejeitada, com 32%; o terceiro é Levy Fidélix, com 27%. Na sequência, aparecem Erundina (25%), Doria (22%), João Bico (21%) e Major Olímpio (19%).

A segunda mais rejeitada é Marta, com 32%, e o terceiro, Levy Fidélix, com 27%. Na sequência aparecem Erundina (25%), Doria (22%), João Bico (21%) e Major Olímpio (19%).  Nas eleições 2016, Celso Russomanno, líder da pesquisa , tem rejeição de 18% dos entrevistados.

A pesquisa ouviu 1.092 eleitores nos dias 23 e 24 de agosto. O levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo com o número SP-01183/2016.

*Com informações do Estadão Contéudo