Tamanho do texto

Pelas novas regras, podem participar somente políticos de partidos que tenham pelo menos dez deputados federais em suas bancadas; Psol, partido da candidata à Prefeitura de São Paulo, tem seis parlamentares na Câmara

Estadão Conteúdo

Luiza Erundina na Primera Zona Eleitoral, onde entrou com liminar para participar do primeiro debate na televisão
Nelson Antoine/Framephoto/Estadão Conteúdo - 18.8.16
Luiza Erundina na Primera Zona Eleitoral, onde entrou com liminar para participar do primeiro debate na televisão

A candidata à Prefeitura de São Paulo Luiza Erundina (Psol) protocolou nesta quinta-feira (18) uma representação no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) em que ela pede para participar dos debates no rádio e na televisão nestas eleições municipais. Ela esteve na sede da Primeira Zona Eleitoral da capital com o candidato a vice de sua chapa, Ivan Valente, e com seu advogado, Aberto Canuto, para fazer o pedido.

LEIA MAIS:  Luiza Erundina foca na mobilidade urbana para voltar à Prefeitura de São Paulo

Na representação, a coligação de Erundina pede que as emissoras convidem a candidata para participar dos debates mesmo antes do julgamento do mérito da ação, que alega o exercício da democracia no processo eleitoral.

LEIA MAIS: Com menos tempo, candidatos apostam na web para divulgar propostas

O julgamento que o Psol pede que o TRE faça é pela inconstitucionalidade da Lei 13.165, de 2015, em que as emissoras de rádio e televisão são obrigadas a promover debates apenas com candidatos cujos partidos tenham pelo menos dez deputados federais na Câmara. Para os demais concorrentes, a presença nos debates é permitida desde que dois terços dos concorrentes concordem. No caso do Psol, o partido tem seis deputados federais.

LEIA MAIS: Passeata da campanha de Doria cruza com a de Erundina e gera provocações

A estratégia de Erundina é garantir sua presença no debate que será promovido pela TV e Rádio Bandeirantes na próxima segunda-feira (22). Como o Supremo Tribunal Federal (STF) irá julgar só no dia 24 uma ação direta de inconstitucionalidade apresentada pelo Psol e pelo PV com teor semelhante, o Psol quer que a Justiça Eleitoral de São Paulo abra uma exceção para a candidata, que aparece em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto. A representação será julgada pela Comissão de Juízes da Propaganda Eleitoral.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.